Ser Parceiro do UNV

O programa VNU, com algumas poucas exceções, não financia voluntários da ONU para atuar nos projetos dos seus parceiros. Ao contrário, são os próprios parceiros que arrecadam fundos para recrutar voluntários das Nações Unidas.

Para aumentar o impacto das ações voluntárias no Brasil, o VNU procura alianças sustentáveis. Entre os parceiros estão órgãos do governo, ONGs, fundações e outras instituições. Esta cooperação pode ser realizada através de voluntários trabalhando na organização parceira ou através de um apoio mútuo em forma de oferta de recursos, informações, etc., objetivando a promoção do voluntariado.

O VNU também procura parcerias com empresas privadas através de patrocínios. Estas empresas apoiam o programa com de doações ou de recursos humanos. Este compromisso com o processo do desenvolvimento social e econômico e o desejo de construir uma sociedade melhor com responsabilidades partilhadas constitui uma base comum para uma parceria significativa entre o programa VNU e o setor privado.

Vantagens de recrutar voluntários das Nações Unidas:

1. Qualidade, eficácia e eficiência dos voluntários: os voluntários das Nações Unidas são fonte de ideias e iniciativas para os projetos, flexíveis e dispostos a compartilhar conhecimentos e experiência. Eles se destacam pela dedicação exclusiva sem propósitos financeiros, sua motivação e profissionalismo.

2. Os voluntários contribuem com conhecimento específico para obtenção de resultados exitosos para os projetos.

3. Processos de seleção e recrutamento simples e rápidos, mesmo em caso de contratação de um grande número de voluntários.

4. A gestão administrativa dos voluntários das Nações Unidas é responsabilidade do escritório nacional do programa VNU, apoiado pelo PNUD Brasil. O parceiro auxilia na seleção dos voluntários, mas é isento das questões relativas à administração e recursos humanos.

5. Os voluntários das Nações Unidas respeitam e disseminam os valores da ONU.

6. Cooperação com todas as agências do sistema ONU, organismos governamentais e não governamentais, instituições de ensino superior e com o setor privado.

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Croácia Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Emirados Árabes Unidos Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Federação Russa Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue