Governo do Distrito Federal cria Grupo de Trabalho para os ODS

13/fev/2017

Com o grupo de trabalho, governo pretende alinhas as políticas públicas com a Agenda 2030. Foto: GDF

O governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, assinou, nesta segunda-feira 13, o decreto que institui o Grupo de Trabalho para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Com o decreto, o governo institucionaliza a Agenda 2030 no planejamento e na orientação de políticas públicas para a promoção do desenvolvimento econômico, erradicação da pobreza e da sustentabilidade no DF. No evento de assinatura do decreto, também se anunciou a ampliação da cooperação técnica com organismos da ONU para a implementação dos ODS no âmbito regional.

“Os ODS são de todas e todos. Com o monitoramento, podemos identificar a tempo qualquer problema, para que possamos resolver pendências e para que as entregas sejam feitas à população de Brasília”, afirmou o governador, Rodrigo Rollemberg.  

Na opinião do Coordenador Residente da ONU no Brasil, Niky Fabiancic, os ODS preenchem uma lacuna de integração de políticas em níveis nacionais e regionais: “Os ODS oferecem uma plataforma de diálogo entre vários atores, em torno de temas comuns. É indispensável o alinhamento de políticas, programas sociais e ações governamentais para o desenvolvimento regional. Tenho certeza de que esse decreto é mais um passo da aproximação entre o Sistema ONU e o GDF. Hoje, a família das Nações Unidas e seus parceiros se fortalecem ao adquirir mais um instrumento para concretizar a tarefa conjunta de tornar o desenvolvimento sustentável e inclusivo uma realidade na vida de todas e todos”.

Além do Distrito Federal, os estados do Rio Grande do Sul, Paraná, Goiás e São Paulo já têm comissões, formadas por decretos estaduais, que insituíram a Agenda 2030 como eixo de planejamento de políticas públicas.

Do PNUD.

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

A ex-República jugoslava da Macedônia Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Croácia Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Emirados Árabes Unidos Equador Eritréia Escritório do Pacífico Etiópia

F

Federação Russa Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Suazilândia Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue