Piauí faz parceria com PNUD para alinhar políticas com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e envolve setor privado

17/mar/2017

Foto: André Oliveira/Governo do Estado do Piaui.

O governo do Estado do Piauí, em parceria com o PNUD, lançou oficialmente em Brasília a “Estratégia Piauí ODS” para representantes do setor privado que possuem investimentos no Estado. Participaram do evento, realizado nesta quarta-feira 15, mais de 20 empresas  com negócios no Piauí em áreas como energia solar e eólica, mineração, infraestrutura, agronegócio e turismo.

O compromisso do governo do Estado com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável se concretizou por meio do projeto de cooperação técnica “Desenvolvimento Territorial e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável Piauí”, pelo qual o Estado se comprometeu a promover diálogos envolvendo o setor público, o privado, a sociedade civil e movimentos sociais; fortalecer a política de desenvolvimento territorial e de participação social; monitorar a implementação dos ODS; e criar espaço para alinhamento das estratégias e planejamento do Estado à Agenda 2030 e seus 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

O projeto conta com o engajamento do setor privado, que participou ativamente da  formulação da Agenda 2030 e que a ONU espera continue desempenhando papel importante na implementação dos ODS, uma vez que o cumprimento dos objetivos até 2030 exigirá cooperação sem precedentes e colaboração entre governos, organizações não governamentais, academia, parceiros de desenvolvimento, comunidades, setor privado.

Em sua fala, o governador Wellington Dias destacou a importância do setor privado para o alcance dos ODS no Estado, não somente contribuindo para o desenvolvimento econômico, mas também com o equilíbrio social e ambiental nos territórios onde atuam. Sobre o projeto, o governador destacou sua expectativa com relação ao Fundo de Desenvolvimento Sustentável previsto na parceria com o PNUD, “que financiará projetos inovadores com alta integração institucional, com alinhamento estratégico com políticas estaduais e nacionais de desenvolvimento sustentável e com resultados que terão impacto territorial e nacional”. 

A representante  assistente adjunta do PNUD no Brasil,  Maristela Baioni, ressaltou que, para o PNUD, o gesto do governo se harmoniza com a recomendação das Nações Unidas para que os Estados nacionais localizem os ODS, ou seja, que levem para os territórios, para o nível local, o compromisso de melhorar os indicadores dos ODS e com isso garantam a melhoria real nas vidas das pessoas. Por isso, “acreditamos que a implementação da estratégia contribuirá para a redução das desigualdades territoriais, fortalecerá a gestão estadual, a governança colaborativa e incrementará o IDHM do Estado”, acrescentou.

A CEO da Contour Global, Alessandra Marinheiro, destacou a parceria da empresa com o governo do Estado e o PNUD para a implementação do projeto como um ganho para empresa em termos de sustentabilidade, em razão do alinhamento do projeto com o plano de desenvolvimento do Estado e com uma agenda global, assim como o ganho em termos de parceria com um organismo internacional transparente como o PNUD.

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

A ex-República jugoslava da Macedônia Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Croácia Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Emirados Árabes Unidos Equador Eritréia Escritório do Pacífico Etiópia

F

Federação Russa Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Suazilândia Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue