Oficina sobre dados e indicadores dos ODS reúne gestores públicos do Governo do Distrito Federal

27/mar/2017

Planejamento estratégico do DF tem os ODS como base para a formulação de políticas públicas. Foto: Guilherme Larsen/PNUD.

Gestores públicos do Governo do Distrito Federal participaram de uma oficina sobre a Agenda 2030, promovida pelo PNUD, na última sexta-feira, na Casa da ONU. O objetivo foi identificar dados e indicadores para orientar e definir políticas públicas para o alcance do desenvolvimento sustentável. Na ocasião, os participantes tiveram a oportunidade de discutir quais as prioridades locais para a implementação dos ODS de acordo com as necessidades do DF.

Na abertura da oficina, os gestores públicos do GDF acompanharam apresentações sobre o processo de definição de indicadores globais sobre os ODS. Também foram discutidos quais os desafios para ampliar as bases de dados já existentes e construir indicadores nos âmbitos regional e local.

“O GDF tem 17 objetivos estratégicos que estão perfeitamente alinhados com a questão do desenvolvimento sustentável. É um planejamento que está dentro de um programa de governo. Nós já trabalhamos com indicadores vinculados aos ODS. Portanto, a Agenda 2030 nos dá a certeza de que estamos no rumo certo. Assim, nosso planejamento estratégico reflete um trabalho que será feito em médio e longo prazo, que coloca Brasília e o entorno em estreita consonância com os 17 ODS”, afirmou a secretária adjunta de Gestão da Estratégia da Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão do Distrito Federal, Francimara Viotti.

Com a formação de grupos de trabalho, os participantes discutiram a necessidade de desagregar dados e indicadores para a formulação de políticas públicas de acordo com a necessidade local. Ao final da discussão, cada grupo apresentou a relação dos indicadores globais da Agenda 2030 com as informações já disponíveis sobre o Distrito Federal.

“É importante termos um diálogo aberto para a construção e adaptação conjunta dos indicadores para o cumprimento dos ODS e da Agenda 2030. Nós já iniciamos a inserção dos ODS nos projetos do Governo, com o apoio da secretaria de Planejamento. A construção e o alinhamento dos dados e indicadores é fundamental para nós. E o intercâmbio de experiências entre o PNUD e o GDF promove o fortalecimento de ações que resultam diretamente em políticas para o desenvolvimento sustentável”, disse o chefe da Unidade de Cooperação Técnica Internacional do Governo do Distrito Federal, Cícero Lima.

O assessor sênior do PNUD, Haroldo Machado Filho, que abriu a oficina, destacou a necessidade da implementação dos ODS nos âmbitos regional e local e a importância da construção de uma base de dados ampla e confiável para a definição de políticas públicas. “Todo o processo de construção da Agenda 2030 levou em conta a necessidade de termos dados e indicadores desagregados para o alcance do desenvolvimento sustentável. Por isso, esse exercício conjunto com os formuladores de políticas públicas é essencial para avançarmos nesse sentido. E o governo do Distrito Federal já iniciou esse trabalho”, disse.

Do PNUD.

 

 

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

A ex-República jugoslava da Macedônia Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Croácia Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Emirados Árabes Unidos Equador Eritréia Escritório do Pacífico Etiópia

F

Federação Russa Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Suazilândia Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue