Declaração sobre o Dia Internacional Contra a Homofobia, Transfobia e Bifobia, por Tegegnework Gettu

17/mai/2017

Neste ano, o Dia Internacional contra a Homofobia, Transfobia e Bifobia (IDAHOT, sigla em inglês para International Day against Homophobia, Transphobia and Biphobia) tem seu foco na conscientização do papel das famílias no bem-estar de pessoas lésbicas, gays, bissexuais, transgêneras e intersexuais. O tema deste ano para o IDAHOT aborda dois conceitos inseparáveis: o da inclusão e o da dignidade humana. Esses conceitos estão também no coração da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, comprometida a não deixar ninguém para trás.

As famílias desempenham papel vital na garantia do bem-estar ao propiciar as condições e oportunidades essenciais ao desenvolvimento humano. As múltiplas e sobrepostas formas de discriminação, a ameaça da violência e a violência em si aumentam o risco de exclusão, e a exclusão da vida familiar tira oportunidades de jovens LGBTI, conduzindo-os à marginalização. Por exemplo, a alienação familiar pode levar a mau desempenho na escola, à evasão escolar e à dificuldade de acesso a emprego. A exclusão também afeta negativamente a saúde mental e física. De acordo com uma declaração conjunta sobre o fim da violência e discriminação contra pessoas LGBTI, assinada por 12 agências da ONU em setembro de 2015, os níveis de suicídio, problemas de saúde mental, falta de moradia e insegurança alimentar entre as pessoas LGBTI rejeitadas por suas famílias são desproporcionalmente elevados. Além disso, em muitas partes do mundo, as famílias LGBTI não têm reconhecimento legal e enfrentam múltiplas formas de estigmatização e discriminação em seu cotidiano.

As desigualdades e a exclusão impedem o desenvolvimento humano sustentável. Número crescente de pesquisas aponta para uma correlação entre a exclusão social de pessoas LGBTI e perdas no Produto Interno Bruto. Alinhado com a Agenda 2030, o PNUD apoia países na redução de desigualdades e no fim da exclusão de todos aqueles deixados para trás. Isso significa apoiar países a criar ambientes favoráveis jurídica e politicamente, de modo a eliminar todas as formas de estigma e discriminação e avançar nos direitos de todas as pessoas, incluindo as LGBTI.

Neste dia, vamos nos comprometer, mais uma vez, com a construção de um mundo mais justo e mais inclusivo, onde o bem-estar, as oportunidades e a dignidade humana sejam para todas e todos, incluindo pessoas LGBTI e suas famílias.

*Tegegnework Gettu é Administrador mundial do PNUD interino.

ONU Livres & Iguais: Família

A cultura e a tradição são partes significativas de nossas vidas. Elas nos permitem reunirmos para celebrar marcos importante de nossas vidas e festejar nosso patrimônio, assim como as pessoas que amamos. Para muitos, elas proporcionam um sentido de lar, história e identidade. Confira o vídeo da campanha Livres & Iguais, da ONU.