Jovens geraizeiros do Alto Rio Pardo criam rede de comunicação para contar histórias da comunidade

1/jun/2017

“Queremos contar nossa própria história, nossa luta pelo território e as belezas das paisagens e do povo geraizeiro”, declaram jovens geraizeiros, comunidade que vive na região do Alto Rio Pardo, norte de Minas Gerais, para a criação de uma rede de comunicadores, principal resultado da oficina de comunicação popular organizada pelo Projeto Bem Diverso em parceria com o Centro de Agricultura Alternativa do Norte de Minas (CAA-NM) e Rede Sociotécnica do Alto Rio Pardo.

Houve dois módulos de formação. O primeiro, coordenado pelo fotógrafo João Ripper, foi em abril de 2017 e teve como foco a fotografia, retratando a identidade geraizeira. Já o segundo módulo, realizado entre 24 e 25 de maio, na Escola Família Agrícola Nova Esperança em Taiobeiras (MG), abordou produção textual, práticas de vídeo e conteúdo para redes sociais digitais.

No total, foram 25 jovens participantes, que apresentaram o resultado do trabalho de registrar em foto, vídeo e textos cenas do cotidiano nas comunidades geraizeiras, com entrevistas de moradores mais antigos sobre história e práticas tradicionais.

Os jovens também aprenderam sobre produção textual para vários tipos de mídia (especialmente aquelas que têm a internet como plataforma), manejaram câmeras e desenvolveram suas primeiras produções audiovisuais. Todas as técnicas aprendidas também foram aplicadas ao uso de telefones celulares, ferramentas mais acessíveis atualmente aos jovens comunicadores.

Nina Ribas, do povoado Olhos D’Água, diz que, a partir do conteúdo aprendido nas oficinas, ela se sente mais preparada para iniciar práticas de comunicação em sua comunidade. “Tem fatos importantes que acontecem nas nossas comunidades que não são vistos. Precisamos divulgá-los utilizando as ferramentas a que temos acesso, como as redes sociais. Queremos também divulgar todo conhecimento dos nossos anciãos, que são detentores do saber tradicional, para que as pessoas deem mais valor a essas práticas que refletem quem somos”, afirma.  

Para dar continuidade ao trabalho de comunicadores, os jovens combinaram de se encontrar em espaços virtuais para desenvolver estratégias para melhor promover a comunicação de sua região.

O Projeto Bem Diverso é resultado da parceria entre a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e o PNUD, com recursos do Fundo Mundial para o Meio Ambiente (GEF).

Confira abaixo o trabalho produzido pelos comunicadores amadores durante a oficina como um projeto piloto, com o qual será aperfeiçoado durante os próximos encontros: