Grupo Assessor da Agenda 2030 lança documentos temáticos sobre os ODS

9/jun/2017

Foto: Gustavo Bodenmüller/ ONU Brasil

Durante o Seminário para “Debater os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS): Avanços e Desafios na Implementação da Agenda 2030 no Brasil”, o copresidente do Grupo Assessor do Sistema ONU para a Agenda 2030, Haroldo Machado Filho,  anunciou o lançamento de documentos temáticos sobre os ODS. O evento, que ocorreu na Câmara dos Deputados, na última quinta-feira (8), reuniu parlamentares e representantes da sociedade civil. 
 
“Neste momento preparatório para o Fórum Político de Alto Nível de 2017, o Sistema das Nações Unidas no Brasil tem o prazer de encaminhar à Comissão Nacional para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável “documentos temáticos” (issue papers) sobre cada ODS, que será objeto de apreciação durante a sessão do Fórum neste ano, ou seja, os ODS 1, 2, 3, 5, 9 e 14”, disse Haroldo Machado Filho. O Fórum, que será realizado em julho, em Nova York, tem como tema central "Erradicar a pobreza e promover a prosperidade num mundo em mudança".

Os documentos temáticos (issue papers) são contribuições de 18 agências, fundos e programas do Sistema ONU no Brasil, de acordo com as áreas temáticas de atuação. O conjunto de “documentos temáticos” encaminhados apresenta temas e questões que o Sistema ONU no Brasil considera relevantes no âmbito do processo de implementação dos ODS 1, 2, 3, 5, 9 e 14 no Brasil e pretendem servir como subsídios à Comissão Nacional para as discussões temáticas correspondentes na fase preparatória para o Fórum Político de Alto Nível de 2017, assim como em outras oportunidades relevantes. 

As agências especializadas, fundos ou programas líderes de cada um dos ODS temáticos no âmbito do Grupo Assessor da ONU para a Agenda 2030 no Brasil ficou responsável por coordenar o trabalho de elaboração desses “documentos temáticos”, resultado de uma construção coletiva. Em exercício desde 2014, o Grupo Assessor conta com a participação de 18 organismos do Sistema ONU: PNUD (inclusive por meio do IPC-IG), CEPAL, FAO, ONU-Habitat, ONU Mulheres, OPAS/OMS, OIT, PNUMA, PMA, UNAIDS, UNESCO, UNFPA, UNICEF, UNIDO, UNISDR-CERRD, UNODC, UNOPS e UNV; contando ainda com a participação de membros do Governo Federal.


“O Sistema das Nações Unidas no Brasil parabeniza o país por se comprometer a apresentar, pouco menos de dois anos após a adoção da Agenda 2030, seu primeiro Relatório Nacional Voluntário. Este primeiro relatório será de extrema relevância para a continuidade dos exercícios de acompanhamento e revisão do progresso dos ODS no país”, afirmou o coordenador residente do Sistema ONU no Brasil e representante residente do PNUD no país, Niky Fabiancic.

Representantes da sociedade civil organizada também anunciaram, durante o Seminário, o lançamento da síntese do “Relatório Luz do GTSC para Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável”, com organização da Gestos – Soropositividade, Comunicação e Gênero e do Instituto Democracia e Sustentabilidade – IDS, contendo textos de mais de 20 organizações da sociedade civil.

Na opinião do assessor sênior do PNUD e copresidente do Grupo Assessor do Sistema ONU para a Agenda 2030, Haroldo Machado Filho, a participação de diferentes setores será fundamental para o cumprimento dos ODS. “A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável foi aprovada em setembro de 2015, sob os auspícios das Nações Unidas, mas ela não é uma agenda da ONU e sim de todas e todos. A Agenda só terá chance de ser implementada se contar com a ação coordenada de todos os setores, incluindo governos (federal e subnacionais), sociedade civil organizada, setor privado, academia e mídia. Esta é uma agenda positiva que tem o potencial de unir a todas e todos em busca de um mundo melhor, mais justo e inclusivo”, afirmou.

do PNUD