Virada Sustentável começa no Rio de Janeiro com enfoque nos ODS

9/jun/2017

Evento reúne representantes de governos, sociedade civil e setor com foco no cumprimento da Agenda 2030. Foto: UNIC/Rio.

Na manhã da última sexta-feira, teve início a Virada Sustentável na cidade do Rio de Janeiro. Ao longo de três dias, palestras, debates e eventos em diferentes pontos da cidades discutirão inclusão social, empoderamento e sustentabilidade, com base nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Segundo o coordenador da Virada Cultural na capital fluminense, Renato Saraiva, para além de um festival, a Virada é uma plataforma para impulsionar projetos socioambientais já existentes e com potencial de provocar mudanças. “Há um espírito de congregação, que reuniu mais de 80 bairros da cidade”, declarou.

Após a abertura oficial do evento, que ocorreu no Museu de Arte do Rio de Janeiro, um painel de debates discutiu como iniciativas envolvendo diferentes atores podem fortalecer a sustentabilidade na cidade.

“O Rio de Janeiro tem um ativo muito importante, que é a relação de todos com o meio ambiente. Temos florestas importantíssimas na área urbana, por exemplo. E esse ativo é um grande legado de diversas iniciativas locais. Com certeza, o Rio de Janeiro tem muito a mostrar. E o alcance do desenvolvimento sustentável depende de todos nós”, disse o presidente do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, Sergio Bessermann.

Parceria com o PNUD

No início deste mês, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o Instituto Virada Sustentável assinaram um memorando de entendimento para promover ações integradas no âmbito local e fortalecer a implementação da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

Com a parceria, as edições da Virada Sustentável terão o apoio do PNUD para mapear ações que dialoguem com os objetivos globais e fortaleçam o alcance do desenvolvimento sustentável, com foco na erradicação da pobreza, no crescimento econômico e na sustentabilidade do planeta.

Para conferir a programação completa da Virada Sustentável, acesse aqui.

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

A ex-República jugoslava da Macedônia Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Croácia Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Emirados Árabes Unidos Equador Eritréia Escritório do Pacífico Etiópia

F

Federação Russa Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Suazilândia Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue