Cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável requer investimentos em inovação, afirma novo relatório do PNUD

14/jul/2017

Nova tecnologias de inovação mudam cada vez mais a maneira como organismos internacionais investem no alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), segundo um novo relatório lançado na última quarta-feira (12) pela unidade de inovação do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento.

No lançamento do relatório “Despertar, Escalar e Sustentar: Inovação para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, a unidade de inovação compartilhou exemplos de como novas tecnologias e novas abordagens podem ajudar a tornar o desenvolvimento mais impactante, citando mais de 40 estudos de casos, incluindo exemplos de Bangladesh, Colômbia, Egito, China, Líbano e Sérvia.

“Quando elaboramos experimentos de inovação focamos na mudança do desenvolvimento, não na solução”, disse o gerente da unidade de inovação, Benjamin Kumpf. “Inovação significa primeiramente testar ideias, aprender rapidamente e ter a capacidade de mudar, e usar a tecnologia que é apropriada a esse contexto”, completou.

O novo relatório ilustra iniciativas que alavancam a inovação para não deixar ninguém para trás e testam ou balanceam novas formas de erradicar a pobreza, proteger o planeta, prevenir conflitos, gerenciar riscos da mudança do clima e riscos naturais e avançar na equidade de gênero. A grande maioria desses países são afetados por crises, são menos desenvolvidos, sem saída para o litoral e são pequenos Estados insulares em desenvolvimento.

Os investimentos do PNUD em inovação levaram a soluções de desenvolvimento mais efetivas, destacadas no relatório, e a novas linhas de serviço a governos parceiros. Isso inclui Laboratórios de Inovação para o Setor Público, Inovação de Dados e Finanças Alternativas.

O PNUD estabeleceu seis laboratórios do setor público como meios efetivos de incluir cidadãos no processo aberto de formulação de políticas e na nova concepção de serviços públicos. Os laboratórios ajudam governos a projetarem políticas dez anos à frente, e no engajamento de cidadãos na formulação de políticas. Na Moldávia, o laboratório impulsionado pelo PNUD está aplicando o novo campo de conhecimentos de comportamento para aprimorar a formulação e teste de políticas, tanto para a conformidade fiscal como para aderência médica.

Para aprimorar a implementação dos ODS com informações em tempo real, PNUD e o “Global Pulse” – iniciativa da ONU para dados - colaboraram em diferentes experimentos de dados. Na Tunísia, por exemplo, o Escritório Nacional de Estatísticas agora é capaz de acompanhar a percepção pública em tempo real com base em análises de opinião de interações por meio da mídia online e mídias sociais.

Outra linha de serviço crescente descrita no relatório é o apoio a opções alternativas de recursos, para financiar esforços para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Na Sérvia, o PNUD trabalha, com o governo e o Fundo Finlandês Sitra de Inovação, no vínculo do impacto social para enfrentar o desemprego de jovens,

Para angariar novas ideias, métodos e projetos de cidadãos incluindo pessoas que vivem como refugiados, o PNUD lançou com parceiros desafios que envolvem prêmios, cobrindo países como Sudão, Iêmen, Malawi, Afeganistão, Paquistão, Myanmar e Nepal e agora está fornecendo apoio aos vencedores para progredir no desenvolvimento das iniciativas desses países e fornecer soluções aos problemas de desenvolvimento.

O trabalho de inovação do PNUD ocorre em parceria com o setor privado, com a academia e também com centros de inovação, start-ups e empreendedores. A unidade de inovação do PNUD foi lançada em 2014 com o apoio do governo da Dinamarca. A unidade apoia escritórios e parceiros do PNUD no teste de novas maneiras de resolver problemas de desenvolvimento, fornece financiamento para testes e promove e formata novas normas na organização para mudar o atual modelo de negócio.

Acesse aqui o relatório em inglês.