Fundação Banco do Brasil divulga projetos reconhecidos no Prêmio de Tecnologia Social, que tem apoio do PNUD

26/jul/2017

Das 735 iniciativas inscritas, 173 foram consideradas aptas a receber a certificação da Fundação. Foto: Fundação Banco do Brasil

A Fundação Banco do Brasil divulgou os resultados da primeira fase do Prêmio de Tecnologia Social. Das 735 iniciativas inscritas, 173 foram consideradas aptas a receber a certificação no ano de 2017. Esta é a 9ª edição da premiação, que tem o objetivo de levantar projetos sustentáveis que possam ser reaplicados em diversas comunidades.

Dentre os requisitos solicitados, estavam: o tempo de atividade; as evidências de transformação social; a sistematização da tecnologia, a ponto de tornar possível sua reaplicação em outras comunidades; e o respeito aos valores de protagonismo social, respeito cultural, cuidado ambiental e solidariedade econômica. As categorias do Prêmio foram baseadas nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

As propostas inscritas foram classificadas em seis categorias nacionais, das quais foram validadas 15 tecnologias na categoria Agroecologia, 27 em Água e/ou Meio Ambiente, 11 em Cidades Sustentáveis e/ou Inovação Digital, 40 em Economia Solidária, 52 em Educação e 16 em Saúde e Bem Estar. Na categoria internacional, foram classificadas 12 propostas.

Com a certificação, as tecnologias passam a compor o Banco de Tecnologia Social (BTS) da Fundação BB, que agora conta com 995 iniciativas aptas para reaplicação. O BTS é uma base de dados online, que reúne metodologias reconhecidas por promoverem a resolução de problemas comuns às diversas comunidades brasileiras. Nesse banco, todas as tecnologias sociais podem ser consultadas por tema, entidade executora, público-alvo, região, UF, dentre outros parâmetros de pesquisa. Para consultar o banco, basta acessar o endereço eletrônico: tecnologiasocial.fbb.org.br. Também é possível consultar esse banco de dados por meio do aplicativo de celular "Banco de Tecnologias Sociais", disponível para aparelhos Android e IOS.

Para o presidente da Fundação Banco do Brasil, Asclepius Soares, a certificação de um projeto com o selo "Certificada Fundação BB" garante mais visibilidade para a iniciativa, além de fortalecer o conceito para sua reaplicação em outras localidades do país. "Nosso objetivo é melhorar a vida das pessoas através do reconhecimento e da reaplicação de tecnologias sociais que já deram certo em diversas localidades. Aproximamos a sabedoria popular ao conhecimento técnico para proporcionar o desenvolvimento social em escala", explicou.

“Projetos de tecnologia social garantem a inclusão de forma integrada. As iniciativas selecionadas pelo Prêmio revelam que é possível solucionar problemas de forma criativa e prática, em linha com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, afirmou o assessor sênior do PNUD, Haroldo Machado Filho.

A próxima etapa do Prêmio está prevista para 1º de agosto, com a divulgação dos projetos finalistas. Já as propostas vencedoras serão anunciadas na cerimônia de premiação, em novembro.

Neste ano, a Fundação BB premiará com R$ 50 mil cada uma das seis iniciativas vencedoras nas categorias nacionais, além da entrega de um troféu e a produção de um vídeo retratando as iniciativas das 21 instituições finalistas nacionais e das três finalistas internacionais.

Esta edição tem a cooperação da Unesco no Brasil e o apoio do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), do Banco Mundial, da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) e do PNUD.

Categoria Internacional

Pela primeira vez, a Fundação BB abriu inscrições para iniciativas dos países da América Latina e do Caribe. Elas concorrem na premiação internacional. Desse grupo, 12 receberão a certificação. As tecnologias sociais dessa categoria também comporão o BTS após tradução dos projetos para o português.