Governo brasileiro lança, com apoio do PNUD, Programa Nacional de Voluntariado

28/ago/2017

Ministro de Estado Chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, e representante-residente do PNUD Brasil, Niky Fabiancic, assinam protocolo de intenções. Foto: Marcos Corrêa/PR

A ambiciosa Agenda 2030 e os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) precisam de um amplo apoio social para serem implementados. Com o objetivo de promover o voluntariado para estimular essa participação social, a Casa Civil do governo brasileiro, em parceria com o PNUD, lançou hoje (28), em Brasília, em cerimônia no Palácio do Planalto, o Viva Voluntário, Programa Nacional de Voluntariado.

O programa, lançado pelo presidente da República, Michel Temer, durante evento que celebrava o Dia Nacional do Voluntariado, vai incentivar o engajamento em atividades voluntárias e o desenvolvimento da educação para a cidadania. O Viva Voluntário unirá esforços entre o governo, organizações da sociedade civil e empresas.

De acordo com o presidente Temer, o trabalho voluntário representa um retorno ao fundamento da solidariedade, que é essencial para fazer o país avançar. Temer ressaltou que o programa está alinhado com uma das marcas de seu governo que é o diálogo. “Esse plano nacional é uma iniciativa que vem expandir uma das marcas do nosso governo, que é a abertura ao diálogo. Quanto mais dialogar, tanto melhor para o Brasil. Não se acredita aqui em trabalho solitário, mas em trabalho de equipe”, disse.

O decreto que cria o programa Viva Voluntário e o Prêmio Nacional do Voluntariado prevê a criação de um conselho gestor do programa com a participação de 16 representantes do governo federal e 16 da sociedade civil, sendo oito do setor privado e oito de organizações da sociedade civil.

Para o cidadão encontrar atividades voluntárias das quais tenha interesse, será criada a Plataforma Digital do Voluntariado. O espaço integrará bases de dados e computará horas de trabalho voluntário. 

O coordenador-residente da ONU Brasil e representante-residente do PNUD Brasil, Niky Fabiancic, exaltou o lançamento do Viva Voluntário: “O Programa Nacional de Voluntariado, anunciado aqui hoje, está em consonância com a proposta da ONU de envolver pessoas de todas as idades, formações e origens. É uma resposta ao anseio de milhares de pessoas dispostas a servir, a fazer a diferença, a ter uma ocupação que lhes dê satisfação pessoal e contribua para sua própria autoestima, doando seu tempo, suas habilidades e seu conhecimento”. 

Durante o evento, a Casa Civil e o PNUD Brasil assinaram um Prodoc para garantir a implementação do novo programa de voluntariado. O Programa da ONU para o Desenvolvimento contribuirá com aportes técnicos e administrativos. 

O Viva Voluntário contará também com assessoria técnica do Programa das Nações Unidas para o Voluntariado (UNV). A expectativa é que o processo de engajamento de voluntários seja fortalecido, além do compartilhamento de experiência.  

 “O interesse pelo trabalho voluntário reflete um desejo sincero de contribuir para o bem comum, para um país melhor, para uma sociedade mais justa, mais humana. Acreditamos que o Programa Nacional de Voluntariado contribuirá para estimular o desenvolvimento de uma cultura de cidadania e participação ativa da sociedade no cumprimento dos Objetivos Globais”, pontuou o representante-residente do PNUD Brasil.

do PNUD, com Agência Brasil e ASCOM/Casa Civil

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

A ex-República jugoslava da Macedônia Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Croácia Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Emirados Árabes Unidos Equador Eritréia Escritório do Pacífico Etiópia

F

Federação Russa Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Suazilândia Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue