PNUD encaminha peritos ao Caribe e recolhe doações para apoio às vítimas do Furacão Irma

8/set/2017

Impacto do Furacão Irma na República Dominicana. Foto: PNUD América Latina e Caribe.

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) encaminhou peritos ao Caribe para apoiar a população dessa região centro-americana na resistência ao Furacão Irma, uma das mais fortes tempestades já registradas no Atlântico. O PNUD também disponibilizou 300 mil dólares de seus recursos para apoiar avaliações, coordenação e planejamento de recuperação nos países afetados pelo Irma.

O PNUD está pondo em prática, em diversos países da região, seus planos de preparação para crises resultantes de desastres naturais. A atuação do Programa da ONU para o Desenvolvimento prevê apoio tanto durante a resposta imediata ao desastre quanto nas atividades mais importantes para a pronta recuperação das áreas afetadas, como manejo e remoção de detritos e entulhos, socorro de emergência e apoio a funções essenciais dos governos, quando solicitadas.

“O furacão tem forte impacto nas famílias – afetando diretamente mulheres, homens e crianças – e em atividades essenciais para pessoas, comunidades e países inteiros, como a agricultura, a indústria da pesca e as pequenas e médias empresas”, declarou a Secretária-Geral Adjunta da ONU e Diretora Regional do PNUD para a América Latina e o Caribe, Jessica Faieta.

A tempestade, que já atingiu diversas ilhas do Caribe, passou também por Barbuda, Cuba, Porto Rico, República Dominicana, entre outros países centro-americanos. O PNUD está pronto para fornecer apoio extra caso haja pedido dos governos. Na década passada, o PNUD investiu quase US$ 300 milhões de dólares em preparação para desastres na América Latina e no Caribe, trabalhando com governos, nos níveis nacionais e municipais, e  com comunidades em geral. No ano passado, o PNUD alocou quase US$ 2 milhões de dólares para planos de resposta e preparo a crises na região, além de deslocar quase 100 oficiais para prover suporte imediato a países afetados.

Vulnerabilidade do Caribe em números

  • 32 milhões de pessoas no Caribe vivem em áreas expostas a zonas de vento de alta velocidade (excesso de 60 km / h)
  • 2 milhões de pessoas no Caribe vivem em áreas expostas a zonas extremas de vento de alta velocidade (excesso de 120 km / h)
  • 13 pessoas mortas em territórios afetados, de acordo com relatórios
  • 3 furacões atualmente ativos no Oceano Atlântico: Irma e José sobre o Caribe e Katia, no Golfo do México

Para fazer doações: https://give.undp.org/campaign/hurricane-irma/c144624

Jornalistas interessados em entrevistas e “aspas” de peritos do PNUD no Caribe e em Nova York, favor contatar Carolina Azevedo em Nova York pelo número +1 212 906 6127 ou e-mail carolina.azevedo@undp.org. Carolina Azevedo, brasileira, é fluente em português.