Dia Internacional pela Erradicação da Pobreza

17/out/2017

Foto: PNUD

Declaração do Administrador do PNUD, Achim Steiner, para o Dia Internacional pela Erradicação da Pobreza.

O tema deste ano para o Dia Internacional pela Erradicação da Pobreza – “Respondendo ao Chamado para Acabar a Pobreza: Um caminho rumo a sociedades pacíficas e inclusivas” – celebra o 25º aniversário da criação dessa data comemorativa e da ideia por trás dela: a de que a fome, a carência de educação e a violência não são inevitáveis; de que a extrema pobreza deve ser algo que todos nós nos empenhamos para erradicar.

Tivemos impressionante progresso na erradicação da pobreza nas últimas duas décadas. No entanto, a despeito de uma riqueza global e um avanço no desenvolvimento humano sem precedentes, desigualdades crescentes e pobreza persistente ainda impõem críticos desafios em todo o mundo. Uma em dez pessoas no planeta vivem com menos de $ 1, 90 (um dólar e noventa centavos) por dia, enquanto oito pessoas no mundo têm riqueza equivalente à metade da população mundial.

A adoção da Agenda 2030 e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, há dois anos, oferecem oportunidade ímpar para lidar com essa situação. O primeiro Objetivo de Desenvolvimento Sustentável, o ODS 1, desafia-nos a erradicar a pobreza em todas as suas formas em todos os lugares até 2030.

Essas formas incluem a fome e a má nutrição, o acesso limitado à educação e outros serviços básicos, a discriminação social e a exclusão, assim como a falta de participação nos processos decisórios.

A Agenda 2030 é uma agenda de desenvolvimento universal que, pela primeira vez, reconhece que as pessoas pobres vivem tanto em países pobres quanto em países ricos, e que as ações executadas em uma parte do mundo podem ter consequências profundas e de longo alcance em outra parte do planeta. Reconhece que as nações dependem umas das outras e devem trabalhar juntas para resolver os mais críticos desafios do mundo.

Erradicar a pobreza requer crescimento econômico inclusivo e sustentável. Isso significa estimular setores da economia onde os pobres tenham emprego; investir em infraestrutura social e física de qualidade onde os pobres possam viver; e oferecer os níveis essenciais mínimos de serviços básicos de saúde e educação, acesso a água potável e saneamento nessas áreas. Significa também dar atenção a fatores de distúrbio e conflito civis e enfrentar tensões crescentes em relação a recursos naturais escassos dos quais a população pobre depende.

Para que as pessoas saiam da pobreza e permaneçam fora dela, sistemas de proteção social bem elaborados podem ser poderosos instrumentos para proteger os grupos mais vulneráveis e marginalizados contra abalos como intempéries, pandemias e crises econômicas que possam levá-los de volta à pobreza.

Neste Dia Internacional pela Erradicação da Pobreza, celebremos o êxito de muitas nações que retiraram tantas pessoas da pobreza e reafirmemos nosso compromisso com a erradicação da pobreza ainda em nossa geração.