Síndicos de grandes edifícios debatem resultados de projeto demonstrativo do Protocolo de Montreal

6/nov/2017

Um edifício com o sistema de ar-condicionado regularizado, que traz economia de energia elétrica e maior conforto para os usuários. Esses foram os principais resultados apontados por Rogério Melo, síndico de um edifício privado em São Paulo, que participou de um estudo de retrocomissionamento desenvolvido pelo Projeto Demonstrativo para o Gerenciamento de Chillers, parceria entre o Ministério do Meio Ambiente e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento no âmbito do Protocolo de Montreal.

Os resultados desse estudo foram apresentados no Encontro dos Síndicos 2017, no Rio de Janeiro. “O Protocolo de Montreal tem foco na eliminação de substâncias destruidoras do ozônio. Esse projeto, contudo, tem uma convergência muito grande com eficiência energética”, explicou o especialista em retrocomissionamento Tomaz Cleto.

O especialista em refrigeração Maurício Rodrigues comentou que, para o ar-condicionado funcionar de maneira adequada, ele não pode resfriar pouco nem em abundância. “Se as pessoas estão passando frio, o sistema não está servindo para seu fim, que é o conforto do usuário”. Cleto complementou: “O retrocomissionamento é uma ferramenta importante para garantir manutenção e funcionamento adequados do ar-condicionado”.

O projeto realizou estudo de retrocomissionamento em quatro edificações, sendo duas em São Paulo, uma em Fortaleza e outra em Cuiabá. O edifício apontado por Melo no evento está, atualmente, em fase de implementação das adequações necessárias indicadas nos estudos, demonstrado os benefícios diretos gerados com os resultados alcançados pelo projeto.

“O dever do síndico é pela conservação e guarda das partes comuns, além de zelar pela prestação dos serviços que interessem aos possuidores”, explicou a advogada da Gerência Jurídica da PREVI, Claudia Lorenzoni.

Dentre essas responsabilidades, está a manutenção adequada do sistema de refrigeração dos condomínios, para a garantia do funcionamento adequado dos aparelhos de ar-condicionado, visando à eficiência energética do prédio e ao conforto dos usuários.

“Percebemos que, com a implementação dos resultados obtidos no estudo, temos maior eficiência energética e deixamos o edifício mais atrativo para o mercado, nos preocupando também com a questão da sustentabilidade”, complementou o síndico.

O estudo apontou ainda a importância do recolhimento e da destinação adequados dos fluidos refrigerantes CFC-11 e HCFC-22, danosos para a camada de ozônio, evitando assim que essas substâncias sejam liberadas na atmosfera.

Para que os usuários tenham acesso aos estudos de retrocomissionamento e conheçam a forma adequada de manejar as substâncias frigoríficas destruidoras da camada de ozônio em chillers, foram produzidas as publicações Guia Prático sobre Sistemas de Água Gelada e Manual sobre Sistemas de Água Gelada – volumes 1, 2 e 3.

A apresentação desse resultado do projeto aos 30 síndicos de edifícios comerciais e engenheiros reunidos no Encontro de Síndicos 2017, entre 24 e 25 de outubro, no Rio de Janeiro, foi ponto alto do evento organizado pela Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil.