BID e Inhotim realizam seminário internacional sobre mudança do clima e biodiversidad

8/nov/2017

Seminário discutirá a importância dos jardins botânicos, papel dos setores público e privado, soluções locais e interface entre ciência e tecnologia. Foto: Instituto Inhotim.

O Instituto Inhotim e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) realizam, entre 29 de novembro e 1º de dezembro, o seminário internacional Mudança Climática e Biodiversidade: Ideias e Atitudes que Fazem Diferença. Com o intuito de sensibilizar o público e apresentar ações inspiradoras que contribuem para o desenvolvimento sustentável, o evento reúne especialistas do Brasil e do exterior. As palestras terão transmissão ao vivo pelos canais do Inhotim.

O botânico Ghillean Prance, consultor do Kew Garden e Eden Project, do Reino Unido, fará a palestra de abertura. Nos dias seguintes, quatro painéis abordarão temas como importância dos jardins botânicos, papel dos setores público e privado, soluções locais e interface entre ciência e tecnologia. Entre os palestrantes estão o pesquisador Ernst Gotsch, criador do conjunto de princípios e técnicas que compõem a Agricultura Sintrópica; a diretora-executiva da Forest Stewardship Council (FSC) Brasil, Aline Tristão; o engenheiro agrônomo Harri Lorenzi, do Jardim Botânico Plantarum, de São Paulo; e o assessor sênior do PNUD, Haroldo Machado Filho, que irá moderar a mesa de debate “Interface entre ciência, tecnologia e tomada de decisão pública e privada para o combate à mudança climática”.

Segundo o diretor do Jardim Botânico do Inhotim e um dos palestrantes do evento, Lucas Sigefredo, o seminário é um convite para o público participar de movimentos e práticas sustentáveis. “O Inhotim é um terreno fértil para esse tipo de reflexão e tomada de consciência. Estar num lugar que congrega dois acervos – de arte e botânica –, que possui plantas dos cinco continentes e artistas do mundo inteiro, traz uma nova qualidade à discussão. Ajuda o público a perceber, refletir e se posicionar sobre um tema que é global e afeta a todos nós”, diz o diretor, destacando as particularidades de se realizar um seminário como esse dentro do Inhotim: “Vamos falar de biodiversidade dentro da biodiversidade, num espaço que já passou por muitas mudanças e hoje constitui um refúgio ímpar para fauna e flora”.

Desde sua abertura ao público, em 2006, o Inhotim tem contribuído para a conservação da biodiversidade. Em 2010, a Instituição foi reconhecida como Jardim Botânico, tornando-se um agente de sensibilização e educação sobre as temáticas de mudança global do clima, sustentabilidade, proteção e conservação da flora e fauna locais. O Instituto possui, ainda, cerca de 4.500 espécies botânicas e uma Reserva Particular de Patrimônio Natural (RPPN), com 254 hectares.

Todas essas ações levaram o BID a enxergar o Inhotim como um agente de mudança positiva e um importante ator no debate global sobre a mudança climática, comenta o representante do BID no Brasil, Hugo Flórez Timorán. “Ainda são muitos os desafios para conservar a biodiversidade, e este seminário é uma oportunidade de colocar na mesa ideias e ações inovadoras, com riqueza de pontos de vista de áreas distintas”, disse.

Por meio de suas práticas de combate à mudança do clima, o Inhotim está em consonância com a Agenda 2030 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU. Os trabalhos ambientais e de pesquisa desenvolvidos no Instituto são frutos de parcerias com instituições de renome internacional, incluindo o BID, o PNUD e a ONG World Wide Fund for Nature (WWF Brasil), todos apoiadores do seminário.

Transporte

Nos três dias de evento, serão disponibilizados ônibus de Belo Horizonte até o Inhotim. As vagas são limitadas a 80 participantes, conforme ordem de cadastro. Mais informações serão enviadas por e-mail aos inscritos.

Para conferir a programação completa, acesse aqui:

Sobre o Instituto Inhotim

Aberto ao público em 2006, o Inhotim já recebeu mais de 2,7 milhões de visitantes, sendo 400 mil de outros países. Localizado em Brumadinho, Minas Gerais, a 60 quilômetros da capital Belo Horizonte, o Instituto convida seus visitantes a se relacionarem com o mundo de forma mais crítica, consciente e transformadora. Atualmente, o acervo de arte contemporânea possui cerca de 1.300 obras. Destas, 700 estão expostas nas 23 galerias e nos jardins do Instituto. O Jardim Botânico é composto por cerca de 4,5 mil espécies nativas e raras de todos os continentes.

O PNUD tem acordo de cooperação com o Inhotim desde 2016, com objetivo de coordenar redes institucionais e recursos humanos e financeiros para incentivar a promoção de medidas de mitigação e de compensação de gases de efeito estufa (GEE), resultantes das operações do Instituto mediante o cancelamento de “Reduções Certificadas de Emissões (RCEs), provenientes de Mecanismos de Desenvolvimento Limpo (MDL). Na parceria, também estão previstas iniciativas de promoções do desenvolvimento de mecanismos voluntários de compensação individual de emissões de GEE, com base na metodologia aplicada na Conferência Rio+20, em 2012.