Brasília ganhará Parque Internacional da Paz

19/dez/2017

Nova ciclovia, museu a céu aberto, centros comerciais e representações diplomáticas ocuparão o local no Setor de Embaixadas Norte.

Em cerimônia na Casa da ONU, na última segunda-feira 18, o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, assinou o decreto que cria a Praça e o Parque Urbano Internacional da Paz. No documento, ficou oficializado o projeto urbanístico do local, no Setor de Embaixadas Norte, em Brasília. A região em que ficará o parque também terá terrenos para embaixadas, dois centros comerciais, uma praça para exposições de obras de arte a céu aberto e uma nova ciclovia.

O governador Rodrigo Rollemberg destacou que o Parque Internacional da Paz será um indutor da integração entre diferentes povos e culturas, com foco na promoção da paz. “Tenho certeza de que teremos oportunidades de ampliar parcerias para a paz. Brasília tem muito interesse em expandir relações com diferentes países e aprofundar as relações políticas e culturais, pois somos a capital de um país acolhedor”, disse o governador.

Durante a cerimônia de assinatura do decreto, o coordenador residente do Sistema ONU no Brasil e representante residente do PNUD no país, Niky Fabiancic, ressaltou que Brasília é uma cidade cosmopolita, reconhecida como Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO, e por isso é o local ideal para receber um parque que visa à promoção da paz, por meio do intercâmbio cultural entre diferentes nações.

“Trata-se de um marco na história de Brasília, um projeto que o governador nos dará a honra e a satisfação de ver se concretizar. Estamos comprometidos a envidar esforços para que esse novo espaço público represente, de fato, o que ele se propõe a ser: um ambiente de harmonia, confraternização, convivência. Várias embaixadas e organismos internacionais já expressaram seu apoio para que esse parque se converta em um pequeno museu a céu aberto, com obras de artistas de diferentes regiões”, disse Fabiancic.

O secretário de Gestão do Território e Habitação de Brasília, Thiago de Andrade, apresentou detalhes técnicos do projeto do Parque Internacional da Paz. Ele ressaltou que todos os procedimentos legais e ambientais foram assegurados para oferecer um espaço de convívio para a cidade. “Essa proposta nasce da reorganização do setor, com centros comerciais e novos terrenos para embaixadas. O compromisso é completar o Setor de Embaixadas Norte. Com as obras, também diminuirão os problemas de acúmulo de água da chuva na região, e o parque também será útil para toda a população, com equipamentos de lazer para os frequentadores, novo paisagismo e frequentes atividades culturais”, afirmou o secretário.

A previsão, segundo o Governo do Distrito Federal, é de que, em março de 2018, seja inaugurada uma ciclovia no local, a primeira obra do parque.

Também estiveram presentes na cerimônia representantes de organismos internacionais, como o diretor do país do PNUD, Didier Trebucq; a representante adjunta para programa, também do PNUD, Maristela Baioni; e autoridades do setor público e do corpo diplomático.

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

A ex-República jugoslava da Macedônia Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Croácia Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Emirados Árabes Unidos Equador Eritréia Escritório do Pacífico Etiópia

F

Federação Russa Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Suazilândia Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue