Jangada Filmes

Vagner, Wendes, Noemi e Rita são apenas quatro dos cerca de 58 mil estudantes da rede municipal de ensino de Maceió, mas representam o desejo dos demais: ter uma educação pública de qualidade. Nos dias 11 e 12 de dezembro, na capital alagoana, o Seminário Anual do Projeto Semed/PNUD deu voz às crianças, jovens e adultos matriculados na rede.

O pequeno Vagner Jardilan Silva, de 10 anos, da Escola Nosso Lar I, localizada em região carente da cidade, partilhou com cerca de 400 educadores a alegria ao se tornar escritor. "Na escola, aprendi a ler e escrever e hoje sou escritor. As professoras querem a gente feliz", afirmou. O estudante presenteou secretária de Educação de Maceió, Ana Dayse Rezende Dorea, com um projeto do livro. Para sua alegria, a gestora anunciou que a obra será editada.

Já a ex-aluna da Escola Selma Bandeira, Noemi Santos, agradeceu a todos da equipe escolar pela contribuição no ensino, que, segundo ela, ampliou seus horizontes. "Quero agradecer a equipe da escola porque mudaram completamente minha vida. Na vida, tudo é uma escolha, e eu escolhi receber e ajudar a melhorar a educação de Maceió", declarou, emocionada.

Noemi e Vagner estavam entre os estudantes que tiveram voz no primeiro painel do seminário, "A escola que queremos – o olhar de estudantes e gestores", o qual propôs debate sobre experiências e anseios da educação, mediado pela própria secretária Ana Dayse.

Balanço

O evento é uma oportunidade para fazer um balanço das ações desenvolvidas ao longo do ano e medir os avanços na educação pública municipal. Para a secretária municipal de Educação, este é o momento de analisar o desempenho da rede municipal de ensino e, então, planejar as ações para 2019. Ana Dayse frisou que agora Maceió tem uma política de educação sólida, construída com o apoio do PNUD e outros parceiros estratégicos, o que possibilita avançar tendo um norte.

"É com muita alegria que estamos aqui hoje, com os professores, coordenadores, diretores da rede municipal e com alguns dos nossos alunos, para encerrar as atividades administrativas do ano de 2018. Vamos avaliar o que foi realizado não só ao longo deste ano, mas ao longo destes seis anos de gestão e também comemorar os frutos deste trabalho, já que Maceió ultrapassou a meta projetada para o Ideb", ressaltou, entusiasmada.

Papel do PNUD

A analista de programa do PNUD responsável pelo projeto, Maria Tereza Amaral Fontes, presente no evento, fez referência ao secretário-geral da ONU, António Guterres, enquanto participava, em Nova Iorque, do lançamento do Fundo Financeiro Internacional para a Educação: "A educação deve a ser paixão de todos os governos, mas também deve ser a paixão da comunidade internacional". Para ela, a rede de Maceió se encontra muito diferente da situação encontrada no início da cooperação, em 2014.

"Hoje temos uma rede de educação fortalecida, pronta para superar os desafios que estão por vir. Prova disso são os grandes avanços que tivemos neste ano, sobretudo no que diz respeito ao Ideb. Maceió superou a meta projetada pelo MEC, e isso nos coloca como a quarta capital do Nordeste com os melhores resultados. É por isso que o PNUD está em Maceió, atuando em parceria com a Semed e outros parceiros, no sentido de promover o desenvolvimento social por meio da educação. É um privilégio, para nós do PNUD, fazer parte dessa história tão bonita que a rede de Maceió está construindo", concluiu.

O segundo dia de Seminário contou com a presença de Rita Ippolito, coordenadora-geral do Projeto Semed/PNUD, que mediou a conversa sobre Educação Básica. Participaram do debate o consultor em educação, Júlio Furtado; a oficial de Educação do UNICEF, Verônica Bezerra, entre outros especialistas. O evento abordou ainda temas como segurança alimentar e autoavaliação de escolas, este último implementado na rede em 2017, em caráter de projeto piloto, no âmbito da parceria com o PNUD.

Na ocasião, os alunos da rede municipal presentes receberam kits de livros paradidáticos, e as escolas ganharam caixas de literatura "Biblioteca para Todos", com 300 exemplares de livros infantis e infanto-juvenis. Também houve apresentação do "Projeto Musicalizando", composto por professores e estudantes das escolas municipais Jayme de Altavilla e Dom Helder Câmara.

O Ideb

O resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) avançou na Rede Municipal de Ensino. A nota de Maceió na Prova Brasil saiu de 4.4 em 2015 para 5.0 em 2017 nos anos iniciais, superando a média projetada para 2017, que era de 4.8. O dado aponta um crescimento de seis décimos em comparação ao Ideb de 2015. Já nos anos finais, Maceió alcançou a média de 3.8 em 2017, crescendo 4 décimos em comparação à média de 2015, que foi de 3.4. Em termos percentuais, Maceió teve crescimento de 13,6% nos anos iniciais e de 11,8% nos anos finais.

Como forma de reconhecimento ao trabalho realizado pelas escolas, o prefeito Rui Palmeira anunciou, durante a abertura do evento, premiação em dinheiro para as unidades de ensino da rede municipal. Para as escolas que alcançaram médias no Ideb igual ou maior a 5.0, foram destinados R$ 8 mil para investimentos em projetos escolares. Aquelas que tiveram média igual ou maior que 6.0 receberam R$10 mil.

O Ideb é um indicador criado pelo Governo Federal para medir a qualidade do ensino nas escolas públicas.

Icon of SDG 04

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

A ex-República jugoslava da Macedônia Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Croácia Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Emirados Árabes Unidos Equador Eritréia Escritório do Pacífico Etiópia

F

Federação Russa Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Suazilândia Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue