Foto: Guilherme Larsen / PNUD.

Promover a disseminação do desenvolvimento sustentável por meio de ações com comunidades de baixa renda do Distrito Federal é  a proposta do “Na Praia Social”, iniciativa que reúne crianças, adolescentes, adultos e pessoas portadoras de deficiência no espaço do “Na Praia”, parque temático  montado anualmente na orla do Lago Paranoá em Brasília (DF). Com a ação, o evento fortalece a promoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e garante a inclusão social de diferentes grupos locais às atividades do evento. O PNUD apoia a iniciativa.

Neste ano, a expectativa é de que 850 pessoas dos Centros Olímpicos do Distrito Federal participem do “Na Praia Social”. Ao longo do dia, os visitantes participam de atividades esportivas, de educação socioambiental, bem-estar, dança e entretenimento. Nas ações, também são apresentados aos conceitos de sustentabilidade do evento e aos ODS da Agenda 2030.  

“Nada existe sem um eixo de sustentabilidade. A integração com a comunidade é fundamental para o envolvimento de todas as partes envolvidas em nossas operações. O Na Praia Social é uma experiência imersiva em que trazemos pessoas que teoricamente não teriam condições de conhecer nosso evento. É uma ferramenta de democratização do acesso e inclusão social. Dessa forma, mostramos na prática que é possível termos ações sustentáveis, trabalhando em conjunto o tripé do desenvolvimento econômico, social e ambiental”, disse o diretor de sustentabilidade da R2 Produções, Francisco Nilson.

Instituição parceira do Na Praia Social, a Fundação Assis Chateaubriand trabalha na gestão pedagógica das atividades desenvolvidas com os visitantes. “As ações são temas transversais da sustentabilidade, e nosso objetivo é unir as atividades com os ODS. Assim, criamos experiências de forma leve, com dinâmicas que propiciam a diversão e o conhecimento sobre a responsabilidade de todos agirem de forma integrada”, afirmou a superintendente executiva da Fundação, Mariana Borges.

A concepção do “Na Praia Social” foi elaborada para garantir que todos os elementos do desenvolvimento sustentável sejam abordados de forma a gerar impacto positivo na comunidade, abordando, por meio de oficinas e entretenimento, ações que dialogam com o cumprimento dos ODS.

“Só teremos um desenvolvimento sustentável se todos os grupos da nossa sociedade forem envolvidos em uma agenda comum. Não podemos deixar ninguém para trás nessa caminhada para alcançarmos as metas dos ODS até 2030. O exemplo do Na Praia mostra que é possível a idealização de um evento que gere lucro e seja ambientalmente sustentável e inclusivo”, disse o assessor sênior do PNUD, Haroldo Machado Filho.

Essa é a quarta edição do “Na Praia Social”. Mais de nove mil pessoas já participaram das atividades desde que a ação iniciou em 2015.  Outra iniciativa que dialoga com o projeto de sustentabilidade do evento é a doação de alimentos não perecíveis para entidades carentes do Distrito Federal. Somente neste ano, já foram coletadas mais de 80 toneladas até o momento. A expectiva é de que 100 toneladas sejam arrecadas até o final do evento, em setembro.

Parceria

O “Na Praia” e o PNUD assinaram Memorando de Entendimento neste mês para promover atividades de disseminação dos ODS no evento. O foco é promover todas as dimensões do desenvolvimento sustentável – econômica, ambiental e social, de forma integrada – e colaborar com a estratégia do evento de economizar um milhão de litros de água, reutilizar e reciclar os resíduos e difundir com os visitantes do evento informações sobre a Agenda 2030.

 

Icon of SDG 10 Icon of SDG 17

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

A ex-República jugoslava da Macedônia Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Croácia Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Emirados Árabes Unidos Equador Eritréia Escritório do Pacífico Etiópia

F

Federação Russa Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Suazilândia Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue