Foto: PNUD.

Nova York – Luis Felipe López-Calva assumiu hoje o posto de Administrador Adjunto do PNUD e Diretor Regional para a América Latina e o Caribe. Ele comandará o trabalho e as equipes da organização em 40 países e territórios da região, apoiando esforços de governos, organizações da sociedade civil e do setor privado para o cumprimento da Agenda 2030 e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

“As quase três décadas de experiência de López-Calva, trabalhando na academia, assessorando governos e ocupando postos-chave de liderança em organizações multilaterais o colocam em boa posição para orientar o trabalho do PNUD na região, apoiando os países rumo o desenvolvimento sustentável”, afirmou o Administrador do PNUD, Achim Steiner. “Sendo um líder com larga experiência na região, ele é um valioso e bem-vindo acréscimo à equipe de liderança sênior do PNUD, para que continuemos trabalhando com os países da América Latina e do Caribe para implementar os ODS. Damos a ele uma calorosa acolhida em seu retorno ao PNUD”, completou Steiner.

O cargo de López-Calva está no nível de Subsecretário Geral das Nações Unidas.

“Sinto-me honrado por voltar ao PNUD e trabalhar para minha própria região neste momento decisivo, quando os países enfrentam novos desafios para melhorar o crescimento, a inclusão e a resiliência para alcançar seus objetivos de desenvolvimento de maneira sustentável”, disse López-Calva. “Esse é um momento de desafios e também de oportunidades para repensar os modelos de desenvolvimento tradicionais e os arranjos institucionais para não deixar ninguém para trás até 2030. Isso é crucial para nossa região, que continua sendo muito desigual apesar dos enormes avanços dos últimos anos”, acrescentou.

López-Calva sucede Jessica Faieta, que assumiu o cargo de Representante Especial Adjunta para a Colômbia e Chefe Adjunta da Missão de Verificação das Nações Unidas na Colômbia. O Administrador do PNUD agradeceu a Jessica Faieta por sua liderança e a Lenni Montiel, que dirigou o Escritório Regional durante o período de transição.

O novo diretor do PNUD para a América Latina e o Caribe tem quase 30 anos de experiência, na academia, em governos da região e em organizações multilaterais, incluindo o PNUD e, mais recentemente, no Banco Mundial, onde foi gerente da área de Pobreza e Equidade (Europa e Ásia Central). Atuou também como co-diretor e autor principal do Relatório de Desenvolvimento Mundial 2017 sobre “Governança e Direito” e como economista-chefe do Escritório Regional para a América Latina e o Caribe do PNUD em Nova York, mesma divisão que comandará a partir de agora.

Em pesquisa, seu foco de interesse está em mercados de trabalho, pobreza e desigualdade, instituições e microeconomia do desenvolvimento, tendo apresentado o resultado de seus estudos em instituições como Universidade Harvard, Universidade da Califórnia – Berkeley, Universidade da Califórnia – San Diego, e na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômicos (OCDE). Ele tem mestrado em Economia pela Universidade Boston, assim como mestrado e doutorado em Economia pela Universidade Cornell.

Nascido no México, López-Calva é casado e tem três filhos.

 

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

A ex-República jugoslava da Macedônia Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Croácia Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Emirados Árabes Unidos Equador Eritréia Escritório do Pacífico Etiópia

F

Federação Russa Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Suazilândia Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue