Cantora Patti Smith (ao centro) e convidados durante o concerto "Pathway to Paris", em 2017. Foto: PNUD.

A Pathway to Paris, iniciativa da 350.org (ONG que promove o uso de energias renováveis), e o PNUD promoverão concerto especial no próximo 14 de setembro no Auditório Massônico em São Francisco, Califórnia (EUA). Programado para encerrar a Cúpula Global de Ação pelo Clima, o espetáculo chamará a atenção para o potencial das cidades de ir além dos objetivos relacionados ao clima no Acordo de Paris.

Ao reunir musicistas, outros artistas, pensadores e formuladores de política, o show será também um chamado para a ação, um convite à comunidade internacional para aspirar a um futuro climaticamente seguro para todos.

O evento marca a quarta colaboração entre Pathway to Paris e PNUD, que já uniram forças antes para realizar concertos, como nos últimos três anos. Os primeiros shows, realizados na capital francesa em 2015, coincidiram com a adoção do Acordo de Paris, enquanto os espetáculos de 2016 e de 2017 celebraram a ação pelo clima por parte de atores estatais e não estatais. Em 2017, a parceria resultou em um concerto no histórico Carnegie Hall, em Nova York, onde a Pathway to Paris anunciou o lançamento da inciativa “1000 Cidades”. A proposta da iniciativa é convidar todas as cidades do mundo a fazer a transição de combustíveis fósseis para 100% de energia renovável até 2040, de forma a cumprir o Acordo de Paris.

“No mundo da música, a melhor maneira de melhorar é por meio da cooperação. O mesmo vale para essa questão crítica da mudança do clima. Devemos nos unir para fazer dessa cooperação a mais ambiciosa do século. Não vamos conseguir implementar soluções cruciais e desafiadoras para as mudanças climáticas, a poluição com plástico e todos os problemas ambientais urgentes se continuarmos divididos.Inseparável do problema da mudança global do clima está a necessidade de paz mundial, comunicação global e uma cooperação internacional incomparável a qualquer outro evento da história da humanidade”, declarau o cofundador da Pathway to Paris, Jesse Paris Smith.

“As cidades desempenham um papel importante na transição da era dos combustíveis fósseis para um mundo renovável. É chegada a hora de realizarmos essa mudança e tornar as cidades mais sustentáveis e resilientes para todos nós e para as futuras gerações. Essa é nossa chance, pois nossa janela temporal está se fechando”, afirmou a cofundadora da Pathway to Paris, Rebecca Foon.

Além de Patti Smith e Bob Weir, também participarão do show Flea, do Red Hot Chili Peppers,Tenzin Choegyal, a cantora francesa de pop-soul Imany, o renomado Olafur Eliasson, e os fundadores da Pathway to Paris, Jesse Paris e Rebecca Foon. Bill McKibben, da 350.org, também estará entre os que falarão no evento.

O artista Olafur Eliasson transformará todo o público em artistas, criando uma obra de arte coletiva e interativa. Eliasson desenvolve uma coreografia que leva o público a segurar uma lanterna solar. O resultado é um "nascer do sol" com energia solar visualmente impressionante, que desperta a consciência das pessoas sobre a importância da ação pelo clima e a igualdade na distribuição de energia.

Os recursos arrecadados com o evento serão doados à 350.org, à Pathway to Paris e ao PNUD.

 

Icon of SDG 07 Icon of SDG 11 Icon of SDG 13

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

A ex-República jugoslava da Macedônia Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Croácia Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Emirados Árabes Unidos Equador Eritréia Escritório do Pacífico Etiópia

F

Federação Russa Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Suazilândia Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue