O PNUD segue como uma das organizações de cooperação para o desenvolvimento mais transparentes do mundo, segundo classificação do índice de organizações similares em todo planeta.

O Aid Transparency Index (algo como Índice de Transparência em Cooperação), produzido pela campanha por transparência nos organismos de cooperação “Publique o que Você Financia”, classificou o PNUD como segunda organização de cooperação mais transparente do mundo, o que  converte o programa em organismo das Nações Unidas com a classificação mais elevada. Esse é o sexto relatório integral do Índice, que avaliou, neste ano, os 45 maiores doadores em cooperação e em financiamento para o desenvolvimento.

O PNUD pontuou 95.4%, aumento de 2.1 pontos percentuais em relação ao índice anterior, publicado em 2016. O PNUD chama a atenção para o fato de que outras organizações avaliadas pelo índice também melhoraram consideravelmente sua própria classificação, impulsionadas pelo papel de liderança do PNUD na busca pela transparência.

“Transparência é um pilar de nosso trabalho no PNUD. Lutamos continuamente para encontrar meios efetivos e inovadores de garantir o alcance do nosso objetivo de ser um parceiro confiável e transparente para todos os interessados em nosso trabalho”, disse o Administrador do PNUD, Achim Steiner.

O PNUD tem compromisso de longa data com a transparência. Como membro da Iniciativa Internacional de Transparência em Cooperação (IATI) desde sua criação, em 2008, o PNUD tem liderado esforços junto a Estados parceiros e agências das Nações Unidas para defender o padrão de transparência em cooperação e torná-lo relevante para o planejamento do desenvolvimento nacional, gestão de finanças públicas e mútua prestação de contas em cooperação, desenvolvimento e financiamento humanitário.

“Acolhemos a colocação deste ano e estamos orgulhosos por termos continuado a melhorar nosso desempenho geral no Índice de Transparência em Cooperação. E parabenizamos o crescente número de organizações que decidiram se comprometer com a transparência e participar desse valioso índice”, disse Steiner.

Desde a revisão do Índice de Transparência em Cooperação, de 2016, o PNUD aprimorou ainda mais a publicação de informações sobre finanças e projetos no Padrão IATI. Empreendeu esforços significativos para aumentar o número de documentos relacionados a projetos disponíveis ao público, assim como de resultados em termos de desenvolvimento.

Nesse contexto, o PNUD lançou ontem o novo Portal PNUD da Transparência, disponibilizando inovações que permitem acesso às informações do trabalho do PNUD ainda mais compreensíveis aos parceiros e ao público em geral.

O novo portal está disponível em: open.undp.org.

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

A ex-República jugoslava da Macedônia Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Croácia Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Emirados Árabes Unidos Equador Eritréia Escritório do Pacífico Etiópia

F

Federação Russa Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Suazilândia Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue