undp-br-virada-porto-alegre-2018

Educação e seus desafios na agenda da sustentabilidade. Esse será o tema da 3º edição da Virada Sustentável de Porto Alegre entre os dias 6 e 8 deste mês. O evento, que tem apoio do PNUD, terá debates e oficinas sobre redução das desigualdades, cidades resilientes, consumo responsável, água potável e saneamento, acesso à justiça, empreendedorismo sustentável e ecogastronomia, com base na Agenda 2030 e nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Serão mais de 200 atrações e atividades simultâneas em diferentes locais da cidade e em cinco “Ecopontos”: Casa de Cultura Mário Quintana, Associação Cultural Vila Flores, Parque da Redenção, Unisinos e SESC Protásio Alves. Todas as atividades serão gratuitas e abertas ao público. Em cada “Ecoponto”, haverá postos de coleta de resíduos eletrônicos, frascos de perfume, óleo de cozinha e outros produtos nocivos ao meio ambiente.

Nesta edição, 14 roteiros – chamados de “Trilhas” – reúnem as atividades por temas específicos, como acessibilidade, literatura, ecogastronomia, música e empreendedorismo sustentável, por exemplo. Cada uma dessas “Trilhas” está ligada ao menos a um ODS, de forma a apresentar a transversalidade dos Objetivos da Agenda 2030.

“A parceria com o PNUD é muito importante porque os ODS representam uma referência para a Virada Sustentável, para toda a nossa visão do evento e também para os conteúdos da programação. Foi com base na plataforma dos ODS que nosso Conselho Criativo avaliou e definiu quais objetivos eram os mais prioritários para a comunidade de Porto Alegre discutir nessa edição da Virada. Portanto, a Virada cumpre um papel importante para a divulgação dessa plataforma, que não é ainda tão conhecida como deveria. A Virada se comunica com milhares de pessoas e está fazendo essa abordagem. É parte do nosso trabalho, da nossa missão, conscientizar o máximo de pessoas para o sentido e a relevância do conteúdo dos ODS”, afirmou o produtor executivo da Virada Sustentável, Vitor Ortiz.

Na opinião do assessor sênior do PNUD, Haroldo Machado Filho, abordagens que dialogam com as realidades locais são essenciais para o cumprimento dos ODS. “Só teremos o alcance da Agenda 2030 com ações coordenadas que dialoguem diretamente com as necessidades locais. A Virada Sustentável, que reúne representantes da sociedade civil, governos, setor privado, academia e mídia, é uma grande aliada para discutirmos com a sociedade, de forma prática e direta, quais as reais necessidades para erradicarmos a pobreza, promovermos o crescimento econômico e garantirmos a sustentabilidade do planeta”, disse.

Sobre a Virada

A Virada Sustentável é o maior festival de mobilização e educação para a sustentabilidade do Brasil. Envolve cocriação, articulação e participação direta de organizações da sociedade civil, órgãos públicos, escolas e universidades, empresas, coletivos e movimentos sociais. Teve sua primeira edição realizada em 2011, em São Paulo, e desde então vem ampliando seu escopo de atuação, promovendo edições em cidades como Sinop, Manaus, Salvador, Porto Alegre e Rio de Janeiro.

Em 2017, o PNUD assinou Memorando de Entendimento com o Instituto Virada Sustentável. Na parceria, estão previstas atividades para mobilização e disseminação da Agenda 2030 e dos ODS. O objetivo é promover a ação social colaborativa com diferentes setores da sociedade para garantir o alcance do desenvolvimento sustentável no país.

Confira aqui a programação completa da Virada Sustentável de Porto Alegre.

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

A ex-República jugoslava da Macedônia Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Croácia Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Emirados Árabes Unidos Equador Eritréia Escritório do Pacífico Etiópia

F

Federação Russa Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Suazilândia Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue