Ilha do Meio, Território da Cidadania Marajó. Foto: Ana Euler

Cerca de 300 agroextrativistas que atuam no manejo de açaizais, em ilhas do estuário amazônico – ponto de encontro entre o rio e o mar, na divisa dos estados Amapá e Pará –, foram convidados a participar do diagnóstico que resultará em indicadores de bem-estar e desenvolvimento da região. A proposição dos indicadores se dá por meio de oficinas realizadas pela equipe do projeto Bem Diverso, fruto de parceria entre a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e o PNUD, com recursos do Fundo Mundial para o Meio Ambiente (GEF).

De acordo com a engenheira florestal e pesquisadora da Embrapa Ana Euler, encerrou-se, na última semana, a primeira rodada de oficinas nas comunidades Nova Aliança e Bom Jesus, nos Assentamentos Agroextrativistas Charapucu e Ilha do Carás, com a participação de produtores de outras comunidades das Ilhas Jurupari e Queimada, todas localizadas no município de Afuá, Pará.

No total, são promovidas seis oficinas, entre março e maio, com as comunidades dos 18 assentamentos agroextrativistas de Afuá, que representam cerca de 80% do território do município. A proposta delas é apresentar o projeto Bem Diverso, dialogar sobre as atividades relacionadas à safra do açaí e elaborar um diagnóstico rápido e participativo da comunidade, construindo seus indicadores de bem-estar e desenvolvimento, levantando os principais problemas e discutindo propostas para superá-los.

"O município de Afuá está entre os que concentram a maior produção de açaí do Pará. A economia familiar é dependente desse produto florestal que, na última década, vem proporcionando melhoria na renda e na qualidade de vida da população no campo e na cidade. O projeto Bem Diverso aposta nessa cadeia produtiva como estratégia para promover o uso múltiplo sustentável e a conservação das florestas de várzea do Território do Marajó", acrescenta Ana Euler, que atua como facilitadora nas oficinas junto com o engenheiro florestal Carlos Augusto Ramos e jovens monitores extrativistas da região.

A equipe do projeto Bem Diverso trabalha articulada com parceiros locais, entre eles o Sindicato de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Afuá (STTR) e as associações comunitárias no fortalecimento da organização para o monitoramento da safra do açaí, da organização da produção e comercialização, do bom manejo e da qualidade do produto ofertado pelos produtores locais. Os parceiros buscam melhores preços e mercados, além do acesso a políticas de assistência, crédito rural e compras públicas. Outros parceiros estratégicos são a Emater, o Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (IdeflorBio) e a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Projeto Bem Diverso

O principal objetivo do Bem Diverso é a conservação da biodiversidade brasileira e a geração de renda para comunidades tradicionais e agricultores familiares. O projeto atende a seis Territórios da Cidadania em vários estados. No Estuário Amazônico (Amapá e Pará), o projeto é desenvolvido no Território da Cidadania do Marajó, com foco nas espécies açaí e andiroba.

O projeto teve início em 2015 e tem duração prevista de cinco anos, com atuação em dois eixos principais: desenvolvimento e promoção do uso de técnicas de manejo para extração e uso sustentável de produtos florestais não madeireiros e promoção de sistemas agroflorestais; e identificação dos gargalos financeiros e de mercado que comprometem o aumento da produção e da renda de comunidades agroextrativistas e agricultores familiares.

Por Embrapa Amapá, com edições.

Icon of SDG 01 Icon of SDG 02 Icon of SDG 03 Icon of SDG 08 Icon of SDG 10 Icon of SDG 11 Icon of SDG 12 Icon of SDG 15

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Croácia Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Emirados Árabes Unidos Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Federação Russa Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue