UNDP Peru

Nova York, NY (julho, 2019) – De acordo com o mais recente relatório das Nações Unidas sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), o mundo precisa redobrar seus esforços para alcançar os ODS.

Lançado no primeiro dia do Fórum Político de Alto Nível, que terminou ontem em Nova York, o documento alerta para o fato de que, apesar das conquistas alcançadas, o mundo deve ajustar o ritmo e o caminho dos atuais esforços.

"Embora estejamos fazendo um progresso notável para alcançar todos os 17 ODS até 2030, o relatório destaca, claramente, que ainda enfrentamos inúmeros e diversos desafios para acelerar o cumprimento dos objetivos", declarou o Administrador do PNUD, Achim Steiner. "As metas que os países estabeleceram são ambiciosas e abrangentes – elas incluíram a redução da pobreza; as extensas ações de que precisamos para combater a mudança global do clima; assim como o aumento dos esforços necessários para proteger a biodiversidade do nosso planeta".

Os resultados do relatório apontam para a queda da taxa de extrema pobreza, de 36% em 1990 para 8,6% em 2018. No entanto, a velocidade da redução da pobreza está estagnada. A desigualdade de gênero persiste, pois mulheres e meninas ainda são excluídas da política, da educação e das oportunidades econômicas.

Ações drásticas são necessárias para mitigar a realidade da mudança global do clima. O Acordo de Paris é um passo, com os países destacando suas contribuições nacionais para a diminuição de gases do efeito estufa. O relatório mostra que 2018 foi o ano mais quente já registrado, à medida que os níveis de dióxido de carbono continuam a subir, iniciando uma reação em cadeia com a acidificação oceânica, aumento da frequência de climas extremos e nível do mar, entre outros sintomas.

O relatório também traz boas notícias. O mundo está progredindo no acesso à energia. Segundo o documento, quase nove em cada dez pessoas têm acesso à eletricidade, e as tecnologias renováveis desempenham um papel cada mais  relevante nisso.

A perda geral de biodiversidade está diminuindo, mas ainda é frágil. O ritmo do desmatamento diminuiu 25%, enquanto o financiamento para proteção e manejo aumentou. Contudo, é preciso ter cuidado para evitar a extinção de uma milhão de espécies ameaçadas e impedir qualquer degradação adicional das terras.

Como co-presidente da Força-Tarefa do Fórum Político de Alto Nível do Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais, o PNUD auxiliou na pesquisa e redação do relatório.

As conclusões do documento serão mais exploradas na Cúpula dos ODS, em setembro deste ano, quando os chefes de Estado se reunirão para avaliar o progresso e as formas de acelerar o progresso dos ODS.

Essa cúpula será a primeira do tipo desde a adoção, em 2015, dos ODS.

Icon of SDG 17

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Croácia Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Emirados Árabes Unidos Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Federação Russa Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue