TV Globo, Divulgação

Lançado nesta semana em Oslo, na Noruega, o relatório UNDP’s Engagement with the Media for Governance, Sustainable Development and Peace, publicado pelo Centro de Governança do PNUD, reúne 12 estudos de caso de diferentes países e territórios que, juntos, destacam a abrangência e o impacto do envolvimento da organização com a mídia para atingir resultados de desenvolvimento ao redor do mundo. Os casos escolhidos para compor o documento mostram que há um crescente reconhecimento de que o engajamento da mídia tornou-se indispensável para a promoção da governança inclusiva, paz, desenvolvimento sustentável e, finalmente, para o alcance da Agenda 2030.

Selecionada entre mais de 200 iniciativas, a parceria entre a TV Globo e o PNUD Brasil, com uma campanha de conscientização sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), é a única da América do Sul a figurar no relatório.

A campanha consiste na transmissão em larga escala de uma série de vídeos breves que explicam os pontos básicos da Agenda 2030, discutem as prioridades dos ODS no Brasil e incentivam o público a se informar sobre o assunto para agir localmente. De setembro de 2017 a setembro de 2018, a parceria resultou na produção de duas campanhas de TV: a Geração do Amanhã, que já teve duas edições para apresentar as principais ideias por trás dos ODS, e a Menos é Mais, que destaca a importância da conservação de recursos naturais e os desafios que o Brasil enfrenta na área ambiental, a qual teve o apoio também da ONU Meio Ambiente.

Com ampla popularidade no país, a emissora atinge um extenso público por meio de uma linguagem dinâmica e acessível, que conta ainda com a criação de identidades visuais atrativas. Estima-se que a campanha já tenha atingido mais de 100 milhões de espectadores, quase a metade da população do país.

Para a diretora de responsabilidade social Globo, Beatriz Azeredo, a parceria com o PNUD reforça o compromisso histórico da Globo com grandes temas da agenda nacional, em especial Direitos Humanos, Educação e Sustentabilidade Ambiental. "Esse alinhamento é essencial para que possamos ampliar a comunicação da Agenda 2030 e dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Assim, colocando em prática o ODS 17, que é Parceria, buscamos juntos contribuir na construção de uma sociedade mais justa e inclusiva", afirma. 

De acordo com a representante-residente assistente do PNUD no Brasil, Maristela Baioni, a parceria com a Globo potencializa os esforços do PNUD para avançar na implementação da Agenda 2030 e dos ODS. "O alcance da emissora permite uma disseminação do assunto em larga escala e rede nacional que nenhum outro canal institucional seria capaz em tão curto espaço de tempo. Um vídeo na Globo alcança, em poucos dias, milhões de pessoas. A linguagem acessível das peças da campanha favorece muito o entendimento sobre essa nova agenda de desenvolvimento. Alcançar 'milhões de uns' é fundamental para fazer valer o mote da Agenda, que é não deixar ninguém para trás".

O relatório

O relatório é baseado em diversas fontes e foi escrito a partir de uma pesquisa extensa. Primeiro, um grande mapeamento foi realizado para identificar práticas promissoras e tendências mais amplas no trabalho do PNUD com a mídia, que selecionou mais de 200 iniciativas, a maioria das quais realizadas entre 2016 e 2018.

A seleção de estudos de caso em potencial foi seguida de uma revisão completa da documentação e de materiais internos e externos. Depois, entrevistas com colaboradores do PNUD e parceiros de cada uma das iniciativas forneceram detalhes sobre a implementação dos projetos, incluindo os desafios enfrentados, resultados e lições aprendidas. Toda a coleta de dados, análise e elaboração do documento foi realizada entre julho e outubro de 2018.

Confira os outros 11 estudos de caso selecionados:

  • Serra Leoa: Uma abordagem holística em apoio à mídia livre e independente
  • Geórgia: Fortalecimento do papel da sociedade civil no monitoramento da mídia para garantir eleições críveis e inclusivas
  • Quênia: Engajando atores da mídia na indústria extrativista
  • Moldova: Treinando jornalistas para o trabalho com dados abertos na busca pela transparência
  • Sudão: Usando a mídia para apoiar o cidadão na entrega de serviços básicos
  • Líbano: Apoiando a mídia para fortalecer a convivência pacífica
  • Região Ásia-Pacífico: Usando o storytelling na mídia social para prevenir o extremismo violento
  • Laos: Empoderando comunidades rurais por meio do rádio
  • Maldivas: Usando a produção de filmes para amplificar a voz dos jovens sobre os ODS
  • Costa Rica: Usando a mídia social para promover igualdade de gênero e direitos da população LGBTI
  • Albânia: Envolvendo a mídia para combater a discriminação contra ciganos e egípcios
Icon of SDG 17

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Croácia Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Emirados Árabes Unidos Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Federação Russa Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue