Prosseguem discussões do Conselho Assessor do PNUD para próximo Relatório de Desenvolvimento Humano do Brasil

9/dez/2016

A ex-atleta e presidente da Atletas para o Brasil, Ana Moser, é uma das integrantes do conselho. Foto: Vanessa Zanella/PNUD Brasil.

Especialistas das áreas de esporte e atividades físicas, acadêmicos e ex-atletas que formam o Conselho Assessor do Relatório de Desenvolvimento Humano (RDH) Nacional do PNUD se reuniram no Rio de Janeiro para debater o tema como fator de desenvolvimento humano para o país.

Essa foi a segunda reunião técnica do conselho, que tem como objetivo tratar da temática para a produção do próximo RDH, o qual deverá ser lançado no primeiro semestre do próximo ano.

“O RDH é um relatório diferente de outros, pois seu sucesso depende de um exercício bem realizado de construção coletiva de consensos em temas que dialogam e fortalecem o desenvolvimento humano”, pontuou o coordenador residente do Sistema ONU e representante residente do PNUD no Brasil, Niky Fabiancic.

Desde a formação do conselho, em maio deste ano, até a segunda reunião, que aconteceu durante a semana internacional do esporte, foram realizadas cinco reuniões presenciais com pesquisadores e assistentes de pesquisa de diversas áreas que englobam as atividades físicas, além de consultas no formato de questionários sobre a temática de atividades físicas e esportivas.

Um dos papeis desse relatório é motivar e gerar debates para políticas públicas concretas, relacionadas com as atividades físicas. “Esse documento tem o papel de mostrar aos gestores públicos a importância de se definirem políticas, receitas e responsabilidades. Deve dar linhas para que o setor público pense políticas públicas que atendam realmente as grandes demandas”, pontuou o conselheiro Humberto Panzetti, presidente da Associação Brasileira dos Secretários Municipais de Esportes e Lazer.

O PNUD defende que o desenvolvimento humano não se trata apenas de renda. Engloba uma série de aspectos da vida humana, que envolvem melhores oportunidades para que cada pessoa possa escolher ser e viver como julgar melhor.

No caso das atividades físicas e esportivas, o conselho tem como objetivo formular subsídios para que o Relatório responda em que medida elas podem se constituir em vetores de desenvolvimento humano, ou seja, em quais cenários o desenvolvimento humano se amplia por meio do envolvimento das pessoas com atividades físicas e esportivas.

“Você não tem liberdade quando não têm condições de realizar a prática. O acesso é super-importante, mas quanto maior a vivência e oportunidades de realização da prática, maior é a liberdade de escolha”, completa a conselheira Ana Moser.

Participaram da reunião, realizada no BRICS Policy Center, no Rio de Janeiro, a ex-atleta e presidente da Atletas para o Brasil, Ana Moser; o presidente da Associação Brasileira dos Secretários Municipais de Esportes e Lazer, Humberto Panzetti; a presidente do Projeto Vida Corrida, Neide dos Santos Silva; a ex-atleta e presidente do Instituto Janeth Arcain, Janeth Arcain; a professora de economia da Universidade Federal Fluminense, Rosane Mendonça (na ocasião, representando o Conselheiro Ricardo Paes de Barros, economista-chefe do Instituto Ayrton Senna) e o representante do Conselho Nacional do Esporte, Márcio Moreira.

 

do PNUD

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue