Foto: UNDP

Nova York – O WhatsApp acaba de anunciar o lançamento de duas iniciativas em apoio à luta global contra a pandemia do novo coronavírus: o lançamento mundial do Centro de Informação do WhatsApp sobre Coronavírus, em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o UNICEF, além de uma doação de US$1 milhão para a Rede Internacional de Checagem de Fatos do Instituto Poynter (IFCN, na sigla em inglês).

O Centro de Informação do WhatsApp sobre Coronavírus fornece um guia simples para trabalhadores da saúde, educadores, líderes comunitários, sociedade civil organizada, governos locais e empresários relacionados às comunicações via WhatsApp. O centro também fornecerá dicas gerais e fontes de informação confiáveis  para os usuários do aplicativo ao redor do mundo com o objetivo de reduzir boatos e conectar os usuários com fontes confiáveis de informação.

As recomendações oferecerão um guia rápido sobre como pequenos grupos podem aproveitar ao máximo as funções do WhatsApp e o PNUD irá distribuí-lo àqueles que coordenam esforços locais. Além disso, o WhatsApp está trabalhando em parceria com a OMS e UNICEF na promoção de linhas diretas para os usuários ao redor do mundo. Essas linhas diretas oferecerão informações confiáveis que serão listadas no Centro de Informação do WhatsApp sobre Coronavírus.

“Obter informação atualizada sobre a COVID-19 para as comunidades locais de todo o mundo é um passo fundamental nos esforços da comunidade internacional para conter a propagação do vírus”, afirmou Achim Steiner, Administrador do PNUD. “As parcerias com empresas do setor privado como o WhatsApp ajudarão a levar informação vital, e em tempo real, da Organização Mundial da Saúde e dos agentes locais de saúde para milhões e milhões de usuários em todo o globo”.

Até o momento, o WhatsApp trabalhou com vários ministérios de saúde e ONGs para oferecer informação objetiva aos usuários por meio de textos em países como Singapura, Israel, África do Sul, Brasil e Indonésia. A medida em que os esforços continuam, o centro é atualizado com as informações mais recentes.

A doação de US$ 1 milhão do WhatsApp para o IFCN apoiará a verificação de fatos para a Aliança #CoronaVirusFacts, que incluirá mais de 100 organizações locais, em pelo menos 45 países. Durante o último ano, o WhatsApp trabalhou para atrair mais de  uma dúzia de organizações que realizam a checagem de fatos diretamente no WhatsApp para que pudessem fazer o cruzamento de fontes e esclarecer sobre boatos que podem estar circulando em vários aplicativos de mensagens, incluindo WhatsApp e SMS. Os recursos garantirão o treinamento para uso de funções avançadas do WhatsApp Business, incluindo seu API. Aumentar a presença dessas organizações de checagem de fatos, certificadas pelo IFCN, ajudará a garantir que as comunidades locais estejam conscientes e respondam a possíveis rumores prejudiciais.

“Sabemos que nossos usuários estão usando o WhatsApp mais do que nunca neste momento de crise, seja para falar com os amigos e entes queridos, médicos com seus pacientes, professores com seus estudantes. Queríamos oferecer um recurso simples que pudesse ajudar a conectar as pessoas neste momento”, declarou Will Cathcart, Diretor do WhatsApp. “Também estamos muito felizes com a parceria com o Instituto Poynter no reforço e aumento da quantidade de organizações de checagem de fatos no WhatsApp e para apoiar seu trabalho de salvar vidas e desmentir boatos. Também continuaremos trabalhando diretamente com os ministérios de saúde de todo o mundo para que possam oferecer atualizações diretamente pelo WhatsApp”.

“A doação no momento certo do WhatsApp irá ajudar na checagem de dados e fatos publicados pela Aliança CoronaVirusFacts e a alcançar audiências maiores que, em consequência, ajudará as pessoas a separar fatos de ficção no meio da avalanche de informação que a OMS chamou de ‘infodemia’”, disse Baybars Orsek, diretor do IFCN. “A Rede Internacional de Checagem dos Fatos também espera descobrir formas de compreender a difusão das mensagens erradas sobre saúde no WhatsApp em diferentes maneiras e colocar à disposição ferramentas para a checagem de fatos, identificando e desmentindo a informação errada na mensagem”, disse Will Cathcart.

 

Icon of SDG 03

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue