Vanessa Hidalgo/UNDP

* Por Achim Steiner, Administrador do PNUD

A Agenda 2030 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) reconhecem o papel fundamental da Cooperação Sul-Sul no desenvolvimento mundial. O mesmo acontece com outras importantes agendas mundiais, em particular com o Marco de Sendai para a Redução de Risco de Desastres, o Acordo de Paris sobre a Mudança do Clima e a Agenda de Ação de Adis Abeba sobre Financiamento para o Desenvolvimento.

Nesse contexto, o Sistema ONU vem intensificando seus esforços para promover a Cooperação Sul-Sul como um importante complemento de cooperação tradicional para o desenvolvimento.

Desde sua criação, o PNUD trabalha com os governos do Sul para aumentar ao máximo os efeitos do desenvolvimento e acelerar a erradicação da pobreza. Anteriormente ao Plano de Ação de Buenos Aires (BAPA - 1978) para promover a cooperação técnica entre os países em desenvolvimento, o PNUD convocou um grupo de pensadores e planejadores de alto nível no Kuwait para definir os principais temas, os quais eram considerados na conferência. O PNUD fez a convocatória entendendo que o Plano de Ação de Buenos Aires seria um marco decisivo na evolução de uma nova ordem internacional e uma oportunidade para que a comunidade mundial pudesse contribuir com a criatividade, a experiência e as capacidades das pessoas do Sul.

O PNUD possui vasta história como agente do conhecimento, facilitador de alianças e promotor de desenvolvimento de capacidades para a Cooperação Sul-Sul e Triangular. Temos assumido o compromisso de afirmarmos esse legado aproveitando nosso conhecimento consolidado em matéria de desenvolvimento, nossa rede mundial e a presença de alianças de confiança em mais de 170 países e territórios.

O PNUD conta com beneplácito do Escritório das Nações Unidas para a Cooperação Sul-Sul que, ao incorporar seu trabalho no Sistema ONU, complementa a presença do PNUD nos países, assim como seu alcance de operação e programático.

Nas vésperas da Conferência do Plano de Ação de Buenos Aires de 2019, damos nossas contribuições e experiência do PNUD para renovarmos nosso compromisso com a promoção da Cooperação Sul-Sul e Triangular em apoio ao progresso para o desenvolvimento sustentável.

Icon of SDG 17

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue