Foto: Guilherme Larsen / PNUD.

Representantes de governos, da sociedade civil organizada e do setor privado dos municípios pernambucanos de Ipojuca e Cabo de Santo Agostinho participam, nesta semana, em Brasília, do curso presencial do projeto “Territorialização e Aceleração dos ODS”. Esses municípios foram selecionados, junto com outros 26, de diferentes regiões do país, para participarem da segunda fase do projeto, que capacitará gestores municipais na promoção e disseminação de políticas públicas alinhadas às metas da Agenda 2030. A iniciativa é resultado de parceria entre a Petrobras e o PNUD.

A capacitação dos gestores locais se dá por meio do sessões de orientação prática e assessoria técnica. Nos encontros, os participantes devem elaborar propostas de solução para os desafios dos territórios, promover acesso ao conhecimento e desenvolver ações que impactem as regiões, sempre alinhadas à Agenda 2030.

“Está sendo uma experiência ímpar, em que podemos ver em tempo real as estratégias e o trabalho integrado. Essa integração é muito importante para traduzirmos os ODS no âmbito local e podermos englobar tudo o que precisamos e minimizar os impactos por meio das mitigações que aprendemos neste curso”, diz a presidente da Agência Municipal do Meio Ambiente de Ipojuca, Sabrina Rodrigues de Lima.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo da cidade de Cabo de Santo Agostinho, Paulo Caminha Júnior, a integração entre os diferentes setores da sociedade é fundamental para o alcance dos ODS. “É importante entender a necessidade global de replicar os conceitos de igualdade para todos os segmentos e setores da população. Os municípios e organizações, tanto do setor privado, dos governos e da sociedade civil organizada, têm esse papel de implementar, junto aos Planos Plurianuais (PPAs), essas ações para que tenham retorno nos territórios, diminuindo as desigualdades”, afirma.

Para a gerente de projetos do Instituto “Enter Jovem”, Cleide Moraes, “precisamos pensar juntos para contribuirmos com soluções importantes para o desenvolvimento dos municípios da região, com foco no alcance da Agenda 2030 e dos ODS nos próximos anos”.

Entre janeiro e julho de 2020, as capacitações presenciais ocorrerão em todos os 28 municípios da segunda fase do projeto. Os participantes ficarão responsáveis pela condução local de atividades práticas para a territorialização dos ODS, por meio de metodologias e ferramentas apresentadas e testadas durante os cursos. O PNUD fornecerá apoio técnico e metodológico nas atividades. O reconhecimento dos participantes como multiplicadores estará condicionado à conclusão de toda a capacitação e à avaliação positiva de desempenho.

Na primeira fase do projeto “Territorialização e Aceleração dos ODS”, que se iniciou em janeiro deste ano, 116 municípios, das cinco regiões do país, participaram das atividades de mobilização e disseminação da Agenda 2030. Até novembro, mais de 2300 gestores públicos e representantes da sociedade civil organizada e do setor privado participaram do curso online sobre a Agenda 2030. O objetivo foi uniformizar o conhecimento sobre o tema para os participantes, de modo a incentivar a replicação dos conceitos nos territórios.

 

TERRITÓRIOS SELECIONADOS – 2ª FASE – PROJETO BRA/18/013

TOTAL: 28 MUNICÍPIOS (5 Estados)

  • PERNAMBUCO
    Cabo de Santo Agostinho, Ipojuca

  • RIO DE JANEIRO 1
    Itaboraí, São Gonçalo, Cachoeira de Macacu, Maricá, Saquarema, Duque de Caxias

  • SERGIPE
    Barra dos Coqueiros, Nossa Senhora do Socorro, São Cristovão, Laranjeiras, Riachuelo, Itaporanga D’ajuda, Carmópolis

  • RIO DE JANEIRO 2
    São Francisco de Itabapoana, Campos dos Goytacazes, São João da Barra, Macaé, Rio das Ostras

  • ESPÍRITO SANTO
    São Mateus, Linhares, Anchieta

  • SÃO PAULO
    Cubatão, Caraguatatuba, Ubatuba, Ilhabela, São Sebastião

 

Icon of SDG 17

PNUD PNUD no mundo

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Croácia Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Emirados Árabes Unidos Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Federação Russa Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue