Foto: Luiz Martins

Fortalecer políticas públicas locais que contribuem para a implementação das metas dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável é o objetivo do projeto "Territorialização e Aceleração dos ODS", resultado de parceria entre a Petrobras e o PNUD, que inicia neste mês sua segunda fase de implementação. Dos 116 municípios atendidos pelo projeto, a segunda etapa contemplará atividades em 28 cidades, por meio do Programa Presencial de Capacitação e da condução de atividades para aceleração do desenvolvimento sustentável local. A seleção ocorreu de acordo com critérios econômicos, sociais e ambientais.

Nos municípios selecionados para a segunda etapa, haverá trabalho direto com o público-alvo: governo local, sociedade civil organizada e setor privado. Também serão identificados multiplicadores da Agenda 2030 em seus meios profissionais e sociais. As atividades e ações incluirão sessões de orientação prática, assessoria técnica, bem como projetos com o objetivo de superar os desafios apontados pelos diagnósticos municipais.

Para as capacitações, os participantes deverão elaborar propostas de solução para desafios nos territórios, promover o acesso ao conhecimento e desenvolver ações que impactem as regiões com foco no cumprimento da Agenda 2030.

Com as atividades da segunda etapa, o resultado esperado é o fortalecimento das capacidades dos atores locais nos territórios para implementar ações aceleradoras dos ODS. Serão produzidas análises de conjuntura institucional local para identificar gargalos na implementação de políticas públicas, integração das iniciativas locais aos ODS por meio de soluções multisetoriais, bem como ações de impacto para contemplar grupos mais vulneráveis. O trabalho será conduzido em parceria com representantes do setor privado e da sociedade civil organizada.

Na próxima semana, entre os dias 18 e 22, a Petrobras e o PNUD iniciam em Brasília a fase de capacitações presenciais com integrantes dos municípios do território de Pernambuco selecionados para a segunda etapa: Ipojuca e Cabo de Santo Agostinho. Entre janeiro e julho de 2020, as capacitações serão nos municípios. Os participantes ficarão responsáveis pela condução local de atividades práticas para a territorialização dos ODS, utilizando metodologias e ferramentas apresentadas durante o curso. O PNUD fornecerá apoio técnico e metodológico durante as atividades. O reconhecimento dos participantes como multiplicadores estará condicionado à conclusão de toda a capacitação e à avaliação positiva de desempenho.

Paralelamente, será feita a mobilização de organizações da sociedade civil nos municípios identificados para a segunda fase, com o objetivo de alinhar seus projetos e ações aos ODS. Essa ação será realizada por meio da parceria do PNUD com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), com o emprego da ferramenta "Mapa das Organizações da Sociedade Civil" (MOSC). O MOSC possibilitará um ambiente em que se possa reunir e documentar a atuação das organizações da sociedade civil para a implementação dos ODS no país.

Na primeira fase do projeto, representantes da sociedade civil organizada, de governos e do setor privado participaram de um curso online sobre os principais conceitos da Agenda 2030 e da territorialização dos ODS.

Confira a lista dos municípios que participarão da segunda fase do projeto:

TERRITÓRIOS SELECIONADOS – 2ª FASE – PROJETO BRA/18/013

TOTAL: 28 MUNICÍPIOS (5 Estados)

  • PERNAMBUCO
    Cabo de Santo Agostinho, Ipojuca

  • RIO DE JANEIRO 1
    Itaboraí, São Gonçalo, Cachoeira de Macacu, Maricá, Saquarema, Duque de Caxias

  • SERGIPE
    Barra dos Coqueiros, Nossa Senhora do Socorro, São Cristovão, Laranjeiras, Riachuelo, Itaporanga D’ajuda, Carmópolis

  • RIO DE JANEIRO 2
    São Francisco de Itabapoana, Campos dos Goytacazes, São João da Barra, Macaé, Rio das Ostras

  • ESPÍRITO SANTO
    São Mateus, Linhares, Anchieta

  • SÃO PAULO
    Cubatão, Caraguatatuba, Ubatuba, Ilhabela, São Sebastião
Icon of SDG 17

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue