Foto: GGP/PNUD

Oito jornalistas de todo o mundo terão a oportunidade de viajar para Lima e a Amazônia Peruana a fim de vivenciar a floresta tropical, interagir com produtores de commodities, participar de oficinas técnicas e diálogos sobre sustentabilidade, conhecer comunidades locais e líderes indígenas, ter acesso à ONU e especialistas, bem como compartilhar habilidades e conhecimentos.

A iniciativa reflete o importante papel da imprensa internacional no destaque aos problemas relacionados ao desmatamento motivado pelas commodities agrícolas, como o óleo de palma, a soja e a carne bovina. Apesar dos imensos esforços ao longo da última década para desacelerar o desmatamento das florestas tropicais, o equivalente, em árvores, a 40 campos de futebol foi desmatado por minuto apenas em 2017.

Garantir a sobrevivência do ecossistema tropical é imprescindível. De acordo com os 40 cientistas responsáveis, no ano passado, pelo relatório do IPCC, a proteção e a restauração das florestas levariam à mitigação de, pelo menos, 18% das emissões globais necessárias até 2030 para evitar o descontrole sobre a mudança global do clima.

O treinamento, aberto a jornalistas de todos os meios de comunicação (imprensa escrita, rádio/TV, jornalismo online, fotojornalismo e vídeo), terá início em 11 de maio com uma oficina de dois dias em Lima, Peru, na qual os jornalistas selecionados terão a oportunidade de debater ética e testar seus proconceitos sobre desmatamento e desenvolvimento sustentável. Os jornalistas terão apoio para desenvolver expertise, se familiarizar e ter entendimento mais matizado de questões-chave de sustentabilidade e desenvolvimento em  amplas cadeias de fornecimento de commodities agrícolas.

Depois da oficina, eles participarão de sessão de alto nível na Good Growth Conference em 13 de maio – na qual terão a oportunidade de entrevistar executivos globais e líderes regionais –  e a viagem continuará na Amazônia, em imersão na floresta por quatro dias.

O treinamento incluirá exercícios de tradução de jargões científicos e financeiros, além de orientações práticas sobre técnicas de storytelling e meios digitais.

A iniciativa tem como objetivo ir a fundo na questão do desmatamento. Os jornalistas devem estar preparados e equipados para se envolver em um nível mais profundo com o tema. Forças econômicas e políticas subjacentes e ligadas ao desmatamento precisam ser reconhecidas e desvendadas. Enquanto isso, soluções e oportunidades para a redução do desmatamento nas cadeias de fornecimento de commodities devem ser examinadas, criticadas e promovidas.

Para completar o treinamento com sucesso, os jornalistas deverão produzir e publicar reportagens focadas em questões de desenvolvimento sustentável, comércio, política, inovação, ciência ambiental, uso da terra, entre outros temas.

Os jornalistas selecionados receberão passagens aéreas de seu país de origem para o Peru, assim como hospedagem. Terão suporte dos escritórios nacionais do PNUD mais relevantes e, ao longo dos quatro meses do treinamento, durante o processo de apuração e redação, terão também acesso a uma rede global de contatos e apoio de seus colegas de treinamento. O financiamento a reportagens mais amplas, no interior do país, dependerão de disponibilidade.

Para mais informações sobre as condições de elegibilidade, exigências e candidatura, visite "Good Growth Conference Journalism Training Initiative".

The Good Growth Conference é promovida pela Good Growth Partnership, financiada pela Global Environment Facility, liderada pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e implementada em colaboração com Conservation International, International Finance Corporation, UN Environment e World Wildlife Fund.

Leia mais sobre a Conferência em: http://goodgrowthpartnership.com/ggc/

 

Icon of SDG 13 Icon of SDG 15

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue