Crédito da foto: Projeto Bem Diverso / Divulgação

 

O projeto Embrapa Bem Diverso foi um dos selecionados na “Chamada Boas Práticas ODS – Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, da Organizações das Nações Unidas (ONU). A convocatória buscou destacar exemplos de boas práticas, incluindo as que poderiam ser replicadas ou ampliadas por outras pessoas em todo o mundo na implementação da Agenda 2030 e que ajudassem a acelerar a recuperação do planeta pós-pandemia do novo coronavírus.

Ao apresentar o projeto como um dos selecionados, a Chamada ressaltou o fato de o Bem Diverso conciliar os objetivos econômicos e de conservação ambiental de maneira sustentável, assim como trabalhar para que as populações tradicionais e os pequenos agricultores tenham papel fundamental na conservação dos biomas Caatinga, Cerrado e Amazônia

“Esse trabalho envolve uma importante troca de conhecimentos. Absorvemos os saberes tradicionais dessas populações e compartilhamos informações técnicas relacionadas à restauração, à conservação, ao manejo e à produção sustentável para que elas cuidem desses territórios e nunca deixem de colher bons frutos”, explica o coordenador nacional do Bem Diverso e pesquisador da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, Anderson Sevilha. 

De acordo com Sevilha, a ideia é aprimorar a governança e a capacitação da comunidade. Por isso, a atuação do projeto envolve desde pesquisas e divulgação de técnicas para a conservação da biodiversidade em paisagens de múltiplos usos até a oferta de cursos e oficinas de formação, que tratam de manejo sustentável, formas de se organizar em cooperativas, técnica para processar e comercializar produtos e acesso às políticas públicas e ao crédito.

“Esse reconhecimento é resultado do esforço dos jovens, estudantes, agricultores, extensionistas, pesquisadores, técnicos, trabalhadores das agroindústrias e todos os que trabalham para o Bem Diverso acontecer”, ressaltou Sevilha.

Em cinco anos de existência, a partir da atuação do projeto, fruto de parceria entre Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e PNUD, com recursos do Fundo Mundial para o Meio Ambiente (GEF), foram instaladas 72 unidades de aprendizagem, três centros de referência e três redes de jovens comunicadores populares. Além disso, foram mapeadas nove cadeias produtivas, desenvolvidos dez estudos de uso do solo e níveis de exploração sustentável, três planos de gestão de terras e seis contratos de uso de terra e água. As capacitações envolveram mais de 3 mil pessoas.

As atividades desenvolvidas no projeto resultaram em redução média de 84% do foco do fogo nos territórios e mais 1 milhão de hectares sob manejo sustentável, o que contribuiu para um aumento médio de 30% na produtividade e 40% na renda familiar da comunidade. No acesso ao crédito, mais de R$ 2 milhões foram concedidos, resultando no desenvolvimento de quatro novos produtos, quatro novos equipamentos, 22 rótulos e etiquetagem e melhoramento de seis produtos processados, que contribuíram para a implantação do ODS.

Ao apresentar o Bem Diverso como um dos selecionados, a chamada da ONU explicou que conciliar os objetivos econômicos e de conservação de maneira sustentável é uma questão importante abordada pelo projeto e que, apesar das mudanças nas políticas socioambientais que afetam negativamente as populações tradicionais, o Brasil está implementando várias políticas bioeconômicas destinadas a apoiar o uso da biodiversidade. 

“Mas, para garantir a inclusão das comunidades locais nos circuitos bioeconômicos e sua contribuição para a conservação da biodiversidade, produção de serviços ambientais e aumento efetivo de seus meios de subsistência e renda, existem várias restrições tecnológicas, de capacidade, de mercado e financeiras que precisam ser entendidas para ser resolvidas. Somente entendendo e removendo essas restrições, será possível dar uma resposta efetiva à Agenda 2030 e às metas dos ODS, e esses são os objetivos deste projeto”, afirma a apresentação do Bem Diverso.

SDG Good Practices

Esta foi a segunda vez que a ONU lançou uma convocação para apresentação de boas práticas, histórias de sucesso e lições aprendidas por todas as partes interessadas na implementação da Agenda 2030 e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). 

Nesta edição, a convocatória reforçou a importância de ampliar essas experiências de boas práticas para apoiar os esforços de recuperação da pandemia de COVID-19 e para acelerar o progresso em direção à Década de Ação para cumprir os ODS.

Agenda 2030

A Agenda 2030 é um plano de ação para as pessoas, o planeta e a prosperidade, que busca fortalecer a paz universal. Nela são indicados 17 ODS e 169 metas para erradicar a pobreza e promover vida digna para todos, dentro dos limites do planeta.

Icon of SDG 02 Icon of SDG 11 Icon of SDG 15 Icon of SDG 17

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue