Foto: PNUD Brasil.

 

Que relação pode haver entre um projeto para eliminar substâncias destruidoras da camada de ozônio e o enfrentamento da pandemia de COVID-19? À primeira vista, nenhuma. Mas a segunda etapa do Programa Brasileiro de Eliminação dos HCFCs (sigla para hidroclorofluorcarbonos) demonstra que essa relação não só é possível como até recomendável. O programa tem contribuído com a campanha de imunização brasileira contra COVID-19 por meio do transporte das vacinas. Cerca de 100 carrocerias refrigeradas produzidas pela empresa Furgão Ibiporã, com tecnologia que não agride a camada de ozônio, são utilizadas para transportar vacinas contra coronavírus para diversos municípios brasileiros.

A empresa recebeu recursos do projeto para deixar de utilizar substâncias que agridem a camada de ozônio na produção de carrocerias refrigeradas. Sob coordenação do Ministério do Meio Ambiente; com PNUD, Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO) e agência de cooperação alemã, GIZ, como agências implementadoras, e recursos do Fundo Multilateral para Implementação do Protocolo de Montreal; o programa tem apoiado empresas brasileiras do setor de espumas e refrigeração na conversão de seus processos produtivos para substâncias que não agridam a camada de ozônio e possuam baixo ou nenhum potencial de aquecimento global. Até o final de fevereiro deste ano, o projeto implementado pelo PNUD para o setor de espumas financiou a adequação de 347 pequenas e médias empresas, entre elas a Furgão Ibiporã, que finalizou o processo de conversão industrial em 2019.

Inserida no setor de transportes, um dos mais relevantes setores econômicos, a empresa tem servido com seus produtos ao sistema de logística que distribui as vacinas contra COVID-19 por todo Brasil. Segundo o supervisor de produção da Furgão Ibiporã, Thiago Ernandes, desde os primeiros testes das vacinas, vários clientes especializados no transporte de medicamentos acionaram a empresa para a produção de carrocerias refrigeradas fechadas para atender à demanda de traslado dos imunizantes. Agora, quando as vacinas vindas de fabricantes no exterior chegam aos aeroportos brasileiros, essas carrocerias refrigeradas as recebem e distribuem para todo o país.

“Estamos há mais de 28 anos ajudando a transportar alimentos, remédios e diversos outros bens de consumo para a população brasileira e cumprir essa missão sempre nos honrou. Ver agora nossos produtos carregando milhões de doses de vacinas contra a COVID-19 é muito importante para nós, pois aumenta nosso senso de responsabilidade para com a comunidade”, afirma Ernandes.

O supervisor ressalta também que, por meio do programa, foi possível realizar adaptações e modificações no processo de produção e nos equipamentos da empresa. Além disso, a Furgão Ibiporã recebeu capacitação técnica para a utilização da substância HFO, alternativa ao HCFCs, que agridem a camada de ozônio. “Entendemos que a eliminação de substâncias nocivas, como os HCFCs, colabora para o bem-estar da humanidade. Então, o programa tem nos ajudado a respeitar e cumprir o Protocolo de Montreal, em que são determinadas as metas de eliminação das substâncias destruidoras da camada de ozônio”, complementou Ernandes.

 

 

Icon of SDG 13 Icon of SDG 17

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue