Crédito da foto: PNUD Peru

Nova York – Desde seu lançamento, o programa Digital X, do PNUD, criou oportunidades para dez projetos ambiciosos escalarem em termos de impacto e alcance geográfico. Agora, com o financiamento do Governo do Japão, o Digital X aproveitará o êxito para lançar um novo Programa de Parcerias para Ganhos em Escala, que busca soluções digitais comprovadas, possíveis de ser replicadas globalmente pelo PNUD e seus parceiros. Até 31 de maio, participantes de todo o mundo estão convidados a inscrever-se para fazer parte do Catálogo de Soluções Digital X e receber até US$ 100.000 em apoio financeiro.  

O programa deste ano baseia-se em dois objetivos de longa data. Desde sua primeira edição, o foco principal do Digital X tem sido identificar inovações digitais comprovadas e escalá-las, com o objetivo de tornar o PNUD mais eficiente e eficaz no cumprimento de seu mandato. O foco secundário é dar ao PNUD e seus parceiros governamentais a capacidade de utilizar amplamente a infinidade de ferramentas digitais « prontas para ganhar escala » a sua disposição e, assim, não perder tempo.

“A primeira edição do Digital X nos ajudou a identificar algumas das razões pelas quais tantas soluções digitais que criamos no PNUD lutam para obter o impacto significativo que desejamos”, explica o especialista em inovação e dimensionamento digital do Chief Digital Office do PNUD, Mike Rios. “No entanto, a experiência também nos deu esperança, porque aprendemos que existem muitas soluções digitais comprovadas, esperando para serem descobertas. O atual desafio Digital X tenta corrigir essa desconexão entre as necessidades digitais que temos e as soluções que já existem.” 

Em preparação para o desafio deste ano, a equipe do Digital X trabalhou com a Rede de Políticas Globais do PNUD para realizar uma varredura sistemática das necessidades digitais em nível nacional. Elas foram sintetizadas em uma série de Desafios Globais Digitais X, que incluem as áreas temáticas de Saúde, Resposta a Crises, Clima, Crescimento Inclusivo e Gênero. 

Todos os organismos da ONU, empresas sociais, organizações sem fins lucrativos e universidades com soluções digitais podem participar. Os candidatos aprovados no processo de verificação serão apresentados em um Catálogo de Soluções Digital X, que será compartilhado com escritórios do PNUD, parceiros governamentais e agências, fundos e programas da ONU em todo o mundo. Um apoio financeiro estará disponível para as equipes selecionadas que implementam soluções digitais, incluindo apoio do Digital Office do PNUD, orientação opcional e conexões com a Rede Digital X, em constante expansão. 

Para ser considerada para seleção, uma solução digital deve: 

  • Estar pronta para ganhar escala (ou seja, ter um proprietário de longo prazo, ser sustentável, passar por uma revisão técnica de segurança, ter adquirido escala amplamente com populações-alvo em pelo menos um país, e progredir além da fase de ideia ou conceito).
  • Apresentar uma descrição clara do problema e uma proposta de valor única.
  • Ter impacto comprovado.
  • Demonstrar o compromisso de “não provocar danos” e incorporar considerações de privacidade de dados.

Para obter detalhes completos sobre como participar do Desafio Global Digital X e ser apresentado no Catálogo de Soluções ou ser elegível para financiamento, acesse digitalx.undp.org.

​​Os vencedores da primeira edição do Digital X alcançaram grande impacto. O grupo selecionado no ano passado apresentou um projeto conjunto entre o PNUD Uganda e a gigante africana de comércio eletrônico Jumia, para conectar fornecedores do mercado informal com clientes online. Apenas algumas semanas após o lançamento do projeto em cinco mercados em Kampala, capital de Uganda, mais dois empreendimentos comerciais estavam ansiosos para envolver-se. O Digital X também ajudou uma plataforma de correspondência de empregos financiada pelo PNUD em Bangladesh a operar na Somália, onde 35% dos jovens entre 20 e 25 anos procuram trabalho.

Icon of SDG 05 Icon of SDG 09

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue