Foto: Ministério da Saúde.

 

O PNUD, em parceria com Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das IST, do HIV/AIDS e das Hepatites Virais, do Ministério da Saúde, está com edital de seleção aberto para organizações da sociedade civil (OSC) interessadas em realizar ações da estratégia “Viva Melhor Sabendo”.

A estratégia prevê ações de base comunitária para prevenção combinada, incluindo a realização de testes de triagem do HIV e encaminhamento aos serviços de exame de sífilis e hepatites virais, nas cinco regiões do país, com foco na prevenção combinada de HIV, outras infecções sexualmente transmissíveis (IST) e hepatites virais entre populações em situação de vulnerabilidade.

Serão selecionadas organizações que apresentarem propostas que contribuam para a redução das vulnerabilidades individuais, sociais e programáticas das populações-chave e prioritárias para o HIV. As OSC deverão apresentar propostas que especifiquem a abrangência das ações, assim como descrição do território a ser trabalhado. As iniciativas deverão ser desenvolvidas, prioritariamente, no município em que a organização estiver localizada.

A expectativa é de que as OSC realizem ao menos 100 testes de triagem do HIV por mês, utilizando teste rápido por amostra de fluído oral (TRFO), seguido de monitoramento dos encaminhamentos aos serviços de saúde.

O “Viva Melhor Sabendo” visa aumentar o diagnóstico oportuno, reduzir a transmissão do HIV e contribuir para o alcance das metas relacionadas ao fim da epidemia – “Metas 90-90-90” – do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre o HIV/Aids (UNAIDS), do qual o Brasil é signatário.

A data-limite para recebimento das propostas é 27 de janeiro de 2021 até as 23h59.

Clique aqui para acessar o edital: https://vendor.un.org.br/processes/4060

Prevenção, diagnóstico e tratamento

O edital insere-se em um projeto do PNUD Brasil com o Ministério da Saúde que visa ampliar o acesso das populações-chave e demais populações prioritárias aos serviços de prevenção, diagnóstico e tratamento a IST, HIV/AIDS e hepatites virais.

Com prazo ampliado até 2022, o projeto visa qualificar as gestões estaduais e municipais de saúde do país, fomentando a cooperação interfederativa por meio do desenvolvimento e aprimoramento de tecnologias da informação e do sistema logístico de insumos estratégicos e de diagnóstico.

A intenção é disseminar boas práticas e experiências de sucesso e disponibilizá-las aos gestores de saúde de secretarias estaduais e municipais, organizações da sociedade civil e instituições sem fins lucrativos com a finalidade de motivar e reproduzir a utilização dessas experiências nos territórios.

Outro objetivo é promover estratégias de comunicação e de capacitação a estudantes e profissionais para a promoção de serviços de prevenção, diagnóstico e tratamento das IST, HIV/AIDS e hepatites virais.

A iniciativa já vem dando frutos desde 2015 e inclui a parceria com o UNAIDS, que tem atuado no âmbito da iniciativa no enfrentamento ao estigma e à discriminação por meio da iniciativa “Zero Discriminação”.

O tratamento para todos e o cuidado integral compartilhado são os pilares da resposta à epidemia do HIV/AIDS no Brasil. Hoje, há 585 mil pessoas em tratamento para HIV/AIDS no país e 92% apresentam carga viral suprimida.

A prevenção combinada é estratégica na resposta à epidemia, por ampliar as alternativas de prevenção para além do uso do preservativo e de medidas comportamentais.

Elas incluem a Profilaxia Pós-Exposição (PEP), que consiste no uso de medicamentos antirretrovirais como medida de prevenção de urgência, e a Profilaxia Pré-Exposição (PrEP)como medida de prevenção para os segmentos mais vulneráveis da população. Existem 65 serviços nas 27 unidades federativas aptos a ofertar a PrEP.

Com informações do Ministério da Saúde.

 

 

Icon of SDG 03 Icon of SDG 17

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue