As estratégias e lições aprendidas durante a criação e implementação da metodologia Desenvolve! Integrando territórios foram consolidadas e já estão disponíveis em um caderno especial no site do PNUD Brasil. Chamado Desenvolve! Na prática, o texto relata a implementação-piloto do método participativo para construção de um plano de desenvolvimento local em contextos de elevado influxo migratório.

Criado com base nas premissas de atuação do PNUD, o método foi aplicado em 2019 em Boa Vista, Roraima, estado brasileiro que faz fronteira com a Venezuela. Nos últimos anos, a região Norte foi impactada pela crise migratória na fronteira e em suas principais cidades.

Somando todas as etapas, a iniciativa mobilizou cerca de três mil pessoas dos distintos setores da sociedade – governo, sociedade civil, setor privado, cooperativas e migrantes –, e alcançou cerca de 500 migrantes nas inicitivas apoiadas pelo projeto. A aplicação foi feita em colaboração com o Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável (CIEDS); com a Organização Internacional para as Migrações (OIM); e com a Escola Nacional de Administração Pública (ENAP).

Utilizando recursos de construção participativa, a intervenção aconteceu em duas principais fases: um evento de dois dias, chamado Ideação Coletiva, no qual grupos formados por representantes de setores sociais variados mapearam e propuseram soluções para problemas locais, seguido de uma oficina com gestores municipais para discussão de um plano conjunto. Ao fim da Ideação Coletiva, foram selecionados projetos para receberem auxílio financeiro para implementação das atividades propostas.

“No método Desenvolve!, a construção de resultados se dá a partir da reunião dos conhecimentos das pessoas que vivem no território para criar soluções que potencializem o desenvolvimento”, explica a coordenadora da Unidade de Governança e Justiça para o Desenvolvimento do PNUD Brasil, Moema Freire.

O caderno Desenvolve! Na prática é uma continuação do conteúdo abordado no texto Desenvolvimento local e migração - Guia para promoção de ações integradas locais para aceleração do desenvolvimento, disponível de forma impressa e digital, que narra a construção teórica que subsidiou a aplicação prática.

Além da definição de conceitos, fotos das oficinas realizadas em Boa Vista e depoimentos dos participantes dos encontros, o texto traz o detalhamento das atividades, reflexões e lições aprendidas no processo de implementação. O caderno faz parte do kit Desenvolve! Integrando territórios, composto também pelo jogo de mesmo nome, site, aplicativo e caderno metodológico.

O caderno detalha os resultados dos projetos locais apoiados em Boa Vista, como parte da etapa de implantação dos eixos prioritários identificados no diagnóstico do território. Dentre os projetos apoiados, destaca-se a iniciativa Mulheres que brilham – Jornada pela igualdade e pelo fim da violência contra as mulheres, focada nos altos índices de violência de gênero e de feminicídios em Roraima. “A colaboração e o protagonismo das pessoas são fatores-chave para obter resultados efetivos e duradouros. Nossa atuação dá especial atenção às populações mais vulneráveis, trabalhando sempre a partir da compreensão dos problemas, necessidades e capacidades de cada território”, justifica Freire.

A partir de uma reflexão sobre empoderamento pessoal e coletivo, e os obstáculos relacionados ao empreendedorismo feminino, o projeto organizou oficinas que, somadas, receberam 80 mulheres: arte-terapia; empoderamento econômico das mulheres; direitos e enfrentamento à violência; artes manuais com decoupage e pintura em tecidos. “Escolhemos o nome Mulheres que Brilham, pois havíamos visto muitas mulheres apagadas por maus tratos e queríamos mulheres que brilhassem! A arte-terapia, por exemplo, é uma ferramenta para encontrar formas de ter um espaço para si, para pensar e estar consigo mesma”, afirma a migrante venezuelana e uma das líderes do grupo, Kerin Valentina.

O caderno Desenvolve! na prática, está disponível para download aqui.

 

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue