Foto: Senado Federal/Divulgação

 

 

Qualificar e diversificar o debate sobre o fortalecimento da gestão pública, com foco nas boas práticas internacionais e sob a perspectiva das recomendações da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), é a proposta da série de seminários "Pessoas à Frente da Transformação do Estado: Experiências Internacionais". O evento , que teve início nesta terça-feira (10/9) às 10h, é iniciativa da Câmara dos Deputados, em parceria com o Movimento Pessoas à Frente, o PNUD e a OCDE.

Com a série, espera-se trazer informações, estudos e experiências nacionais e internacionais ao conhecimento dos parlamentares para que debates correlatos ao tema, como a reforma administrativa, considerem evidência, dados, novas perspectivas de atuação e traga mais elementos à discussão sobre mais eficiência e efetividade no serviço público.

A série está organizada em um conjunto de 6 seminários que contemplarão temas como recrutamento e seleção, liderança e competências, avaliação de desempenho e desenvolvimento de talentos, promoção da integridade e da diversidade no serviço público, entre outros. A participação de organizações internacionais poderá contribuir com casos e experiências de êxito em outros países.

O seminário “Pessoas à Frente: a chave de governos responsivos” é o primeiro da sequência, cujo foco é a importância das pessoas como elemento-chave para governos responsivos, principalmente das lideranças que conduzirão políticas públicas e iniciativas para atender às demandas dos cidadãos e cidadãs.

"Os resultados de múltiplas pesquisas, no mundo todo, confirmam as percepções negativas dos cidadãos quanto à capacidade das instituições públicas de satisfazer suas exigências. Ao mesmo tempo, as quatro funções parlamentares centrais – elaboração de leis, de orçamento, supervisão e representação dos interesses do eleitorado – são fundamentais para satisfazer as expectativas dos cidadãos em suas instituições e melhorar a vida e o bem-estar dos brasileiros e do Brasil", destacou a representante residente do PNUD no Brasil, Katyna Argueta, na abertura do seminário na manhã desta terça-feira.

"Nesse sentido", prosseguiu Argueta, "a produção de conhecimento, gerado por meio de discussões e intercâmbio de experiências, é primordial para aqueles países que buscam aprimorar sua estrutura interna e de gestão, identificando meios e evidências que aprimorem as discussões e tragam novas perspectivas de atuação do Estado, frente às dificuldades de gestão enfrentadas. Colocar a perspectiva das 'Pessoas' como elemento essencial para governos responsivos é de extrema importância para países que buscam alcançar os patamares mais altos de desenvolvimento sustentável. Essa busca pela melhora da qualidade dos serviços da administração pública deve ser guiada na perspectiva da própria administração e da perspectiva do cidadão", observou.

Na manhã de hoje, além do lançamento da série de webinars, com a presença de autoridades do Congresso, do PNUD e da OCDE, houve também o primeiro seminário técnico da série de 6 seminários previstos, que terá dois painéis técnicos.

O primeiro, “Towards a flexible and agile public service: OECD Recommendation on Public Service Leadership and Capability (PSLC)” (Rumo a um serviço público ágil e flexível: Recomendação da OCDE sobre Liderança e Capacidade no Serviço Público), foi apresentado pelo administrador sênior de projetos da OCDE, Daniel Gerson. A fala promoveu um momento específico para tratar da importância do desenvolvimento da liderança e das capacidades no serviço público, trazendo para o debate as propostas da OCDE. Em seguida, o evento teve apresentação de experiências internacionais nesse campo.

Do segundo painel, participou o representante da área de governança do hub do PNUD para América Latina e Caribe, Jairo Acuña-Alfaro, que destacou o papel da transparência, da publicidade, da informação, da confiança e da legitimidade na administração pública na América Latina. Do mesmo painel, participou a secretária de Estado de Inovação e Administração, Maria Fonseca, representante de Portugal como país membro da OCDE. Nessa parte do seminário, salientou-se a importância do papel de liderança de gestores públicos para governos responsivos (e o que significam governos responsivos), bem como se propôs uma reflexão sobre os novos desafios aos gestores públicos no contexto da pandemia e após a crise da covid-19. 

Os próximos seminários já têm seus temas determinados, embora as datas estejam por definir. Favor ver quadro abaixo:

Experiências Internacionais de Pessoas à Frente da Transformação do Estado

Seminário 2 – “Valorizar e Reconhecer Pessoas: Gestão por Desempenho e Desenvolvimento de Talentos”

Seminário 3 – “Atração e Seleção de Líderes”

Seminário 4 – “Órgão Central: Estrutura Institucional para Gestão Estratégica de Pessoas”

Seminário 5 – “Integridade e Diversidade para um Serviço Público mais Resiliente e Efetivo”

Seminário 6 – “Governos Importam: o que é prioridade no serviço público brasileiro?”

 

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue