Crédito da foto: EBC

As micro e pequenas empresas têm papel essencial para ajudar os países a alcançar a Agenda 2030 e seus 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), podendo agir para criar um mundo mais justo, igualitário e sustentável e ajudar na recuperação socioeconômica pós-COVID-19.

Em lembrança ao Dia Internacional da Micro e Pequena Empresa, celebrado em 27 de junho, o PNUD participou online, na segunda-feira (21), da I Semana Internacional da Micro e Pequena Empresa, realizada pela Confederação Nacional das Micro e Pequenas Empresas e dos Empreendedores Individuais (Conampe) e Sebrae.

No Brasil, as micro e pequenas empresas geram 27% do Produto Interno Bruto (PIB) e são responsáveis por mais de 50% dos empregos com carteira assinada do setor privado, respondendo por 32% das exportações em 2020, de acordo com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

“É necessário criar condições, em meio à pandemia, para que as micro e pequenas empresas tenham lojas digitais, marketplaces, aprendam a divulgar seus produtos nas redes sociais, para que possam continuar a faturar, sobreviver e manter empregos”, disse o presidente da Conampe, Ercílio Santinoni, na abertura do evento.

“Chama a atenção a importância das micro e pequenas empresas para viabilizar a recuperação socioeconômica do Brasil nos próximos anos. Há percepção clara de sua relevância não apenas para avançar a Agenda 2030, mas para ajudar o Brasil e o mundo a sair da crise”, disse o coordenador da Unidade de Desenvolvimento Socioeconômico e Inclusivo do PNUD, Cristiano Prado.

Na opinião dele, qualquer avanço da Agenda 2030 precisa passar pelas micro e pequenas empresas. “A pergunta que fica é: como elas podem contribuir?”, questionou.

A resposta está no relatório do Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais das Nações Unidas (DESA), de 2020, citado por Prado em sua apresentação. O documento reafirma que as micro e pequenas empresas têm vital relevância na atividade econômica global, na criação de empregos e rendimentos, especialmente para grupos mais pobres e marginalizados.

Veja como as micro e pequenas empresas podem contribuir para a Agenda 2030:

ODS1: Erradicação da pobreza

As micro e pequenas empresas podem aplicar políticas e práticas que não discriminem os mais pobres. Os pequenos negócios podem recrutar, treinar e empregar membros da comunidade local, incluindo aqueles que vivem na pobreza, e integrá-los às cadeias de valor dos setores em que atuam.

ODS2: Fome zero e agricultura sustentável

As micro e pequenas empresas podem apoiar e incentivar a agricultura familiar, adquirindo alimentos de entidades locais e pequenos produtores, garantindo transparência em sua cadeia de fornecimento. Os pequenos negócios também podem incentivar programas de educação nutricional e de conscientização de funcionários para melhorar a dieta das famílias.

ODS3: Saúde e bem-estar para todos

As micro e pequenas empresas podem tornar os investimentos na saúde de seus funcionários uma prioridade. Podem oferecer benefícios de saúde e incentivar empregados a explorar atividades que lhes permitam pausar e se revigorar durante a jornada de trabalho.

ODS4: Educação de qualidade

As micro e pequenas empresas podem criar programas de treinamento para seus profissionais, melhorando suas habilidades para empregos atuais e futuros. Também podem conscientizar funcionários sobre a importância da educação, apoiando cuidados infantis de qualidade. Podem ainda se engajar em discussões políticas de alto nível por maior financiamento público à educação.

ODS5: Igualdade de gênero

As micro e pequenas empresas podem adotar políticas de inclusão de gênero em suas práticas de negócios e em suas cadeias de valor. Isso inclui garantir salários e benefícios iguais para trabalhos iguais, não tolerar qualquer tipo de violência, promover mulheres em cargos de gestão e aumentar a paridade de gênero nas equipes.

OSD6: Água potável e saneamento

As micro e pequenas empresas devem garantir que o local de trabalho tenha instalações adequadas de água, saneamento e higiene. Também podem priorizar a eficiência hídrica, adotando tecnologias e melhores práticas para economizar água. Outra estratégia é proibir o uso de produtos químicos e materiais que possam ser prejudiciais à qualidade da água se descartados de forma inadequada.

ODS7: Energia limpa e acessível

Embora individualmente as atividades das micro e pequenas empresas tenham baixo impacto ambiental, de forma combinada podem exceder o de grandes negócios. Dessa forma, podem buscar certificações de eficiência energética; priorizar a eficiência energética em todas as operações, incluindo economia de luz, aquecimento, resfriamento; investir em tecnologias de energia limpa.

ODS8: Trabalho decente e crescimento econômico

Como importantes geradoras de empregos, as micro e pequenas empresas devem adotar políticas de contratações e salários justos, em acordo com as leis nacionais, e promover padrões de trabalho decentes. Também podem oferecer oportunidades de treinamento, promover uma cultura empreendedora e investir e orientar jovens empresários.

ODS9: Indústria, inovação e infraestrutura

As micro e pequenas empresas podem estabelecer regras que garantam a sustentabilidade de projetos e iniciativas. Os pequenos negócios podem promover a inovação, dando a todas as partes interessadas a oportunidade de oferecer soluções para os desafios da sustentabilidade.

ODS10: Redução das Desigualdades

As micro e pequenas empresas podem promover a inclusão econômica, atendendo localizações geográficas, populações e mercados que não têm escala para atrair grandes empresas. Também podem empregar jovens, mulheres, migrantes, minorias étnicas e pessoas com deficiência. Devem garantir o cumprimento das políticas de salário mínimo e combater discriminação com base em gênero, raça, religião e orientação sexual.

ODS11: Cidades e comunidades sustentáveis

As micro e pequenas empresas podem firmar parcerias com organizações que atuem de forma a tornar as cidades mais sustentáveis, agindo na resiliência e na funcionalidade urbana e apoiando os serviços de transporte público. 

ODS12: Consumo e produção responsáveis

As micro e pequenas empresas podem reduzir os impactos de sua produção, substituindo matérias-primas por produtos reciclados. Podem reduzir o desperdício transformando resíduos orgânicos em combustível ou fertilizante e desenvolver planos de redução de impactos ambientais.

ODS13: Ação contra a mudança global do clima

As micro e pequenas empresas podem adotar iluminação LED como meio de ampliar a eficiência energética. Podem apoiar o manejo florestal sustentável por meio de práticas responsáveis de compra de suprimentos, além de criar políticas de transporte que incentivem a equipe a substituir viagens de avião ou automóvel.

ODS14: Vida na água

As micro e pequenas empresas podem rastrear o ciclo de vida de produtos para entender como estes são descartados e quais provavelmente acabam em ambientes marinhos. Também podem evitar a má gestão de resíduos ou lixo que podem poluir o meio ambiente marinho.

ODS15: Vida terrestre

Os pequenos negócios podem medir, gerenciar e mitigar os impactos sobre os ecossistemas e recursos naturais; adotar melhores práticas para planejamento e gestão do uso da terra; implementar práticas de compra responsável, aplicando salvaguardas ambientais e sociais para todas as matérias-primas e commodities.

ODS16: Paz, justiça e instituições eficazes

As micro e pequenas empresas devem cumprir as leis e buscar atender os padrões internacionais, exigindo e estimulando negócios parceiros a fazerem o mesmo. Podem realizar avaliações para monitorar riscos externos que podem afetar negócios e operações. Devem apoiar a organização ou participação de funcionários em programas de treinamento em prevenção de violência; incorporar medidas de prevenção da violência nos regulamentos de gestão empresarial.

ODS17: Parcerias e meios de implementação

Os pequenos negócios podem colaborar e apoiar instituições filantrópicas locais. Também podem firmar parcerias relacionadas aos ODS com organizações que visem a sustentabilidade nos territórios.

Icon of SDG 01 Icon of SDG 10 Icon of SDG 13

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue