Antecedentes

Durante a Conferência Rio+20, que ocorreu na cidade do Rio de Janeiro (2012), iniciou-se o processo de discussão para a adoção de um conjunto de objetivos globais que atendessem à integração social, econômica e ambiental do planeta. Em 2015, na Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável, foi aprovada, por unanimidade pelo países-membro da organização, a Agenda 2030 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). No mesmo ano, duas conferências internacionais também marcaram o processo de discussão para a implementação dos ODS: Conferência das Partes (COP21), com a aprovação do Acordo de Paris para reduzir o aumento da temperatura global do planeta, e a III Conferência Internacional para o Desenvolvimento, em Adis Abeba, Etiópia, que estabeleceu fluxos de financiamento para políticas com prioridades econômicas, sociais e ambientais.

Os ODS substituem os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, os quais iniciaram no ano 2000, e que foram uma iniciativa global para, principalmente, erradicar a pobreza. Os ODM eram objetivos mensuráveis, acordados universalmente, para combater a pobreza extrema e a fome, prevenir doenças e ampliar o acesso ao ensino primário de qualidade e à saúde materna, entre outras prioridades para o desenvolvimento. Os ODM também conseguiram enormes avanços na luta contra a HIV/AIDS e outras doenças, como a malária e a tuberculose.

Lições valiosas foram aprendidas com os ODM para a formação dos ODS. Mesmo assim, o trabalho ainda não está concluído. Devemos fazer o último esforço para acabar com a fome, alcançar a igualdade de gênero, melhorar os serviços de saúde, e garantir que todas crianças tenham acesso à escolas de qualidade após o ensino primário. Os ODS também são um chamado para que os habitantes do planeta façam a transição para um futuro mais sustentável.

A Agenda 2030 e os ODS são um compromisso ousado para finalizar o trabalho iniciado pelos ODM e abordar os problemas globais mais urgentes. Os 17 Objetivos são interligados, o que significa que o êxito de um ODS afeta diretamente outro Objetivo. Combater os efeitos adversos da mudança do clima influencia diretamente na forma que gerenciamos nossos recursos naturais. Alcançar a igualdade de gênero e melhorar a saúde ajuda a erradicar a pobreza. Fomentar a paz e sociedades inclusivas reduzirá as desigualdades e contribuirá para que as economias prosperem. A Agenda 2030 e os ODS são uma oportunidade única em benefício da atual e futuras gerações.

Os ODS abarcam questões que afetam diretamente a todas e todos. Eles reafirmam o nosso compromisso internacional de acabar com a pobreza de forma permanente em todas as partes. São ambiciosos e suas metas não deixam ninguém para trás. E incentiva a todos os habitantes do planeta e criarem um ambiente mais sustentável, seguro e próspero para a humanidade. 

PNUD PNUD no mundo

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Croácia Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Emirados Árabes Unidos Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Federação Russa Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue