Paula Mariane

Identificar, por meio de uma base de dados e de indicadores, os principais desafios do Piauí para a implementação da Agenda 2030 é o que se propõe o "Diagnóstico do Piauí à Luz dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável", apresentado em Teresina na última sexta-feira, a membros do Governo do Estado, prefeitos e representantes da sociedade civil, durante o Seminário sobre o Desenvolvimento Sustentável Territorial e Agenda 2030 no Piauí.

O documento destaca números sobre pobreza, educação, renda, gênero, acesso à água potável e informações sobre desigualdades. Com a apresentação do diagnóstico, os órgãos públicos do estado, setor privado e a sociedade civil poderão identificar as proridades locais e direcionar as políticas com foco no cumprimento das metas dos ODS.

Resultado do "Projeto ODS Piauí", parceria entre o Governo do Estado, Contour Global, BNDES e PNUD, o diagnóstico servirá para medir o avanço de metas específicas da Agenda 2030. O documento será atualizado anualmente, levando em conta as particularidades de cada um dos 12 territórios do estado. Por meio do projeto, serão produzidos diagnósticos específicos para cada território. Na última semana, o PNUD apresentou o primeiro diagnóstico local, do Vale do Rio Itaim.

Representando o governador do Piauí, Wellington Dias, o Secretário de Planejamento do Estado, Antônio Neto, disse que o compromisso com a implementação da Agenda 2030 trará resultados positivos em todos os 12 territórios da região. "O Piauí tem o compromisso de implementar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Incorporamos a Agenda 2030 como instrumento de planejamento e articulação, e todas essas ações irão impactar a qualidade de vida dos piauienses. O diagnóstico é uma das formas para acelerarmos o desenvolvimento territorial, de forma equilibrada e alinhada aos ODS", afirmou Antônio Neto.

Durante o evento, também foi entregue às autoridades locais o relatório da missão "MAPS", que visitou o Piauí neste ano para identificar desafios e oportunidades de desenvolvimento do estado e acelerar o progresso e o alcance do desenvolvimento sustentável. A missão envolveu representantes do PNUD e do Fundo Intenracional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA).

O assessor sênior do PNUD, Haroldo Machado Filho, que fez a entrega do relatório, destacou o compromisso do Governo do Estado em melhorar os indicadores de desenvolvimento, como o Índice de Desenvolvimento Humano. "A missão MAPS foi fundamental para identificarmos oportunidades conjuntas de acelerarmos o desenvolvimento do Piauí e seus territórios. Com essa metodologia, será possível ampliar a resiliência local, a inclusão e a produtividade. Esses fatores são fundamentais para os territórios do estado", afirmou Haroldo Machado Filho.

Base de dados

O "Diagnóstico do Estado do Piauí à Luz dos ODS" apresenta informações para que o Governo do Estado, prefeituras municipais e a sociedade civil planejem o desenvolvimento com foco na implementação da Agenda 2030. Periodicamente o diagnóstico será atualizado para identificar avanços nos índices de desenvolvimento do estado e o monitoramento das políticas públicas.

"Elaboramos o diagnóstico pensando em reforçar o planejamento que busque solucionar as maiores dificuldades locais. O foco é manter esse diagnóstico atualizado para que, anualmente, possamos discutir as ações para acelerar o desenvolvimento e fazer o monitoramento da implementação das políticas públicas no âmbito local. Esse planejamento estratégico fortalece a adequação das políticas às necessidades dos diferentes territórios do estado", afirmou o gerente de Estatítsca do PNUD, Nikolas Pirani.

Icon of SDG 01 Icon of SDG 10 Icon of SDG 17

PNUD PNUD no mundo

Você está em PNUD Brasil 
Ir a PNUD Global

A

Afeganistão

Á

África do Sul

A

Albânia Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Azerbaijão

B

Bahrein Bangladesh Barbados Belize Benim Bielorrússia Bolívia Bósnia e Herzegovina Botsuana Brasil Burkina Faso Burundi Butão

C

Cabo Verde Camarões Camboja Casaquistão Chade Chile China Chipre Colômbia Comores Costa do Marfim Costa Rica Cuba

D

Djibouti

E

Egito El Salvador Equador Eritréia Escritório do Pacífico Essuatíni Etiópia

F

Filipinas

G

Gabão Gâmbia Gana Geórgia Guatemala Guiana Guiné Guiné-Bissau Guiné Equatorial

H

Haiti Honduras

I

Iêmen Ilhas Maurício e Seychelles

Í

Índia

I

Indonésia Irã

J

Jamaica Jordânia

K

Kosovo Kuwait

L

Lesoto Líbano Libéria Líbia

M

Macedônia do Norte Madagascar Malásia Malauí Maldivas Mali Marrocos Mauritânia México Moçambique Moldova Mongólia Montenegro Myanmar

N

Namíbia Nepal Nicarágua Níger Nigéria

P

Panamá Papua Nova Guiné Paquistão Paraguai PDR do Laos Peru Programa de Assistência ao Povo Palestino

Q

Quênia Quirguistão

R

República Centro-Africana República Democrática do Congo República do Congo República do Iraque República Dominicana República Popular Democrática da Coreia Ruanda

S

Samoa (Escritório Multi-País) São Tomé e Príncipe Senegal Serra Leoa Sérvia Síria Somália Sri Lanka Sudão Sudão do Sul Suriname

T

Tailândia Tajiquistão Tanzânia Timor-Leste Togo Trinidad e Tobago Tucormenistão Tunísia Turquia

U

Ucrânia Uganda Uruguai Uzbequistão

V

Venezuela Vietnã

Z

Zâmbia Zimbábue